Kevin Anderson rendido à NextGen: “Zverev e Tsitsipas são duas das estrelas mais brilhantes da modalidade”

Kevin Anderson RC
Fotografia: Rogers Cup

Aos 32 anos, Kevin Anderson tem uma carreira consolidada na elite do ténis mundial, mas foi precisamente depois dos 30 que o sul-africano registou as melhores prestações em torneios do Grand Slam, sendo finalista do US Open (2017) e de Wimbledon (2018).

Profissional há mais de uma década, o número 6 da lista mundial está a dar continuidade em Toronto ao excelente nível exibido no All England Club e, este sábado, vai disputar o acesso à final do Masters canadiano. Stefanos Tsitsipas, o jovem grego que está a tocar o céu neste torneio, é o opositor.

“Definitivamente nos últimos anos temos assistido ao surgimento de jogadores mais jovens no circuito, e eu considero isso entusiasmante. A modalidade precisava disto. Toda esta campanha da NextGen foi realmente incrível”, afirmou o sul-africano em conferência de imprensa.

“Veja-se os casos de Alexander Zverev e Stefanos Tsitsipas, duas das estrelas mais brilhantes do jogo. Mas há muitos mais (jovens talentosos). É um contraste interessante entre os trintões e este grupo de jovens tenistas. Não têm o sucesso de tipos como Federer e Nadal, que venceram Grand Slams em tenra idade, mas são igualmente jogadores muito duros”, observou.

Kevin Anderson e Stefanos Tsitsipas protagonizam a primeira meia-final da Rogers Cup, nunca antes das 20h00 (hora de Lisboa).

João Correia
Licenciado em Sociologia e Mestre em Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação (ISCTE). Privilegiado por viver numa das melhores eras da história da modalidade. Contacto: joaocorreia@raquetc.com