Acreditar, acreditar e acreditar. A chave da vitória de Kevin Anderson

Kevin Anderson, 18
Fotografia: AELTC/Joel Marklund

11 de julho de 2018, o dia em que Kevin Anderson derrotou o lendário Roger Federer, em Wimbledon, para se tornar no primeiro sul-africano desde 1983 (Kevin Curren) a alcançar as meias-finais do Grand Slam londrino. A chave da vitória? Anderson explicou-a em termos concisos, em conferência de imprensa.

“Apenas continuei a dizer a mim mesmo que tinha de acreditar que este seria o meu dia, porque realmente esta é a mentalidade necessária para defrontar alguém como o Roger. Se fores para o court com dúvidas, ou sem saberes o que esperar, como eu fiz um pouco no primeiro set, então as coisas não correrão bem. Eu limitei-me a dar tudo e estou eufórico por ter saído vitorioso”, declarou o número 8 mundial.

Aos 32 anos, Kevin Anderson passou finalmente da quarta ronda em Wimbledon, conseguindo assim alcançar a sua primeira meta no All England Club. “Como disse no início da semana, o meu primeiro objetivo era dar um passo além do meu melhor resultado aqui até então, portanto estou tremendamente feliz hoje”, salientou Anderson, que com esta vitória vê reforçada as suas credenciais de candidato ao título.

“Estou mais perto de jogar no domingo, mas agora o mais importante é recuperar e estar pronto para a meu próximo encontro (na sexta-feira)”, afirmou o “gigante” sul-africano, ele que conta na sua equipa com o fisioterapeuta português Carlos Costa.

João Correia
Licenciado em Sociologia e Mestre em Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação (ISCTE). Privilegiado por viver numa das melhores eras da história da modalidade. Contacto: joaocorreia@raquetc.com