O dia em que Bouchard passou a ter melhor ranking de pares do que de singulares

De promessa a estrela em ascensão foi um instante e num outro piscar de olhos ao top. Em 2014, Genie Bouchard conseguiu tornar-se numa das melhores tenistas do circuito feminino. Agora, quatro anos depois, está “perdida” e esta segunda-feira passou a ter melhor ranking de pares do que singulares.

Isto até poderia não dizer muito caso a ainda jovem tenista canadiana (só tem 24 anos) fosse participante assídua nesta variante, mas não é: na última época somou 9 vitórias e este ano 4.

O que quer dizer que a prestação em singulares tem ficado muito abaixo das expetativas, e aqui os números não mentem mesmo: desde que em 2017 chegou aos quartos de final do torneio de Madrid (pontos esses que esta segunda-feira lhe foram descontados), a ex-finalista de Wimbledon soma apenas 10 triunfos. Ou seja, uma dezena de vitórias no espaço de um ano.

Feitas as contas, são 351 os pontos que a tenista canadiana tem na tabela classificativa, que lhe valem a 169.ª posição em singulares(na semana passada era a 110.ª) e a 133.ª em pares.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."