Carreño Busta: “Vai ser um problema para o capitão decidir mas espero que me escolha a mim”

Pablo Carreño Busta
Foi a estreia perfeita para o campeão do Millennium Estoril Open ao lado de Feliciano López / Fotografia: Diego Gonzalez Souto

MARBELLA – Este sábado dificilmente será esquecido por Pablo Carreño Busta. O campeão em título do Millennium Estoril Open jogou o encontro de pares entre Espanha e Grã-Bretanha ao lado de Feliciano López e estreou-se, assim, em duelos da Taça Davis “em casa”, dando ao seu país uma vitória muito importante.

Atualmente no 10.º posto do ranking mundial, o jogador natural de Gijón esteve à conversa com o RAQUETC depois da conferência de imprensa e começou por destacar o apoio sentido ao longo de todo o embate: “Os adeptos foram espetaculares e ajudaram-nos imenso. Nunca tinha jogado para a Taça Davis em casa, só por fora e o público tinha estado muito em cima de nós e posso dizer que quando o público se põe como pôs hoje é complicado, porque os jogadores sentem-no e creio que para nós isso foi muito importante. Espero que esteja assim outra vez amanhã porque foi espetacular.”

Já de olhos postos no derradeiro dia da eliminatória frente à Grã-Bretanha, que está a ser disputada em Marbella, Carreño Busta diz-se “totalmente preparado para jogar. O encontro de hoje foi muito bom, deu-me confiança e estive muito bem quer fisicamente quer em termos do meu jogo. Temos trabalho para fazer para amanhã, vamos entrar a ganhar por 2-1 mas nada está decidido.”

E vai mais longe: “O bom desta equipa é que qualquer um de nós os cinco pode jogar bem singulares e vencer, pelo que vai ser um problema para o capitão decidir quem vai jogar, mas espero que me escolha a mim.”

Recorde-se que na cerimónia do sorteio, que aconteceu na quinta-feira, os capitães escolheram Albert Ramos e Cameron Norrie para o primeiro encontro de domingo, seguido do duelo entre Roberto Bautista Agut e Liam Broady, mas as equipas podem proceder a alterações até uma hora antes do início de cada duelo.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."