O Raquetc

No Raquetc pomos pontos e vírgulas no que acontece dentro do court, dos torneios nacionais aos Grand Slams. Porque cada “Game, set and match” tem uma história. E esta é a nossa:

Depois de vários rabiscos em dois ou três blogues, com diferentes nomes e formatos, o Ténis Portugal foi fundado a 10 de junho de 2010 por Gaspar Ribeiro Lança. Um domingo inesquecível — aquele em que Frederico Gil se tornou no primeiro tenista português da história a jogar uma final de singulares ao mais alto nível e ficou tão perto do título no Estoril Open — foi o serviço perfeito para o aperfeiçoamento do projeto.

Houve, nos anos seguintes, dois momentos particularmente marcantes: o Estoril Open de 2012, primeiro torneio que acompanhámos numa sala de imprensa, e o Mutua Madrid Open de 2015, a primeira experiência fora de portas, também na sala de imprensa.

Pelo meio, a edição de 2014 do Campeonato Nacional Absoluto, no CIF, enfatizou a nossa aposta singular na cobertura do ténis português, estabelecida desde o início como a grande prioridade do projeto, e enfatizou a vontade de variar e inovar nos formatos de publicação, com reportagens apoiadas no texto, na fotografia e no vídeo.

A inovação é, aliás, uma preocupação constante e nesse mesmo ano publicámos 25 entradas do “Diário de Frederico Marques”, uma coletânea de textos escritos em exclusivo pelo treinador de João Sousa para o Ténis Portugal ao longo de uma época em que o tenista português jogou duas finais ATP (em Bastad e em Metz).

Em 2015, ao texto juntámos o áudio e ganhámos uma voz: através de uma parceria com a Escola Superior de Comunicação Social (ESCS) criámos o “Ténis Portugal na Rádio” e reunimos em estúdio várias figuras do ténis português, desde jornalistas a jogadores, treinadores e dirigentes.

Durante quase sete anos, o Ténis Portugal preencheu de forma diária parte do espaço que o ténis foi ganhando. Escreveu-se sobre vitórias, conquistas históricas e também derrotas.

Até que no início de 2017 o Raquetc entrou no forno como resposta ao desafio de pensar um website para quatro raquetes e a 8 de maio substituiu o Ténis Portugal. O rebranding foi sinónimo de uma certa profissionalização do projeto, que reforçou a presença e o empenho em torneios organizados em solo nacional.

As semanas como media partner do Lisboa Womens Open, no Lisboa Racket Centre, e do Open de São Domingos, no São João Ténis Clube, em junho de 2016 e junho de 2017, respetivamente, foram dois dos alicerces daquela que se reforçou como a grande aposta do Raquetc: oferecer a melhor cobertura do ténis português. E por isso passámos a ser presença regular como media partners de torneios nacionais e internacionais organizados de Norte a Sul do país, através dos quais transmitimos em direto centenas de encontros dos mais variados níveis e escalões.

Mas o que se passa “lá fora” continuou e continuará a merecer o nosso olhar, como comprovam algumas das viagens que fizemos desde então: em novembro de 2018 o Raquetc cobriu in loco a última final da Taça Davis no seu formato tradicional, em Lille (França), com notícias, reportagens, crónicas e opinião; exatamente um ano depois, a viagem foi até Madrid (Espanha) e o destino final as novas Davis Cup Finals, com explicações, notícias pela madrugada dentro e mais opinião.

Pelo meio, o Raquetc estreou-se em torneios do Grand Slam. A edição de 2019 de Roland-Garros foi entusiasmante e dividimos o nosso trabalho entre uma série de artigos de fundo, o relato de um dos regressos mais aguardados da história recente e a sempre prioritária cobertura do ténis nacional, nos bons e nos maus momentos.

Aquele que começou como um projeto tímido, inspirado por um Estoril Open inesquecível e uma final que dificilmente algum português esquecerá, é agora um espaço de referência em Portugal no que ao ténis diz respeito. Esta “segunda versão”, renovada, mais completa e pensada, alimenta-se de informação diária que se estende a notícias, mas também à procura permanente de entrevistas, reportagens e artigos de opinião/crónicas que sejam motivo de interesse ao desporto mais bonito do mundo.