Fanselow não esconde: “Jogar primeira meia-final Challenger em Portugal seria tremendo”

Sara Falcão/FPT

MAIA – Com residência em Portugal há ano e meio, Sebastian Fanselow tem competido muito pelo nosso país no circuito internacional, já com três troféus (Faro, Setúbal e esta temporada em Portimão) em cinco finais disputadas. Depois de bater Gonçalo Oliveira esta quinta-feira, o segundo triunfo frente a um português esta semana, o alemão, que nem contava jogar na Maia, carimbou o acesso ao sétimo quarto de final no ATP Challenger Tour, primeiro em terra batida, e ambiciona não ficar por aqui.

“Seria tremendo conseguir jogar a primeira meia-final no ATP Challenger Tour e logo aqui em Portugal. Especialmente porque até há dois meses não estava a ter uma temporada muito boa e estava a passar uma das minhas fases mais difíceis. Tinha mais expetativas e a certo ponto comecei a duvidar, depois de tanta derrota, se conseguia jogar a este nível”. Fanselow abriu o jogo na conferência de imprensar posterior aos oitavos de final do Maia Open II, dando relevo ao triunfo em Portimão como ponto de viragem, atingido dois quartos de final no escalão Challenger depois desse título, primeiro de 2021.

Já estive em seis quartos de final neste nível antes, mas às vezes é mais uma barreira física e mental. Quando se ultrapassa essa linha, as portas abrem-se e não pensamos mais nisso”, considerou o tenista de 29 anos, que não ficou surpreendido por saber que esta seria a primeira semifinal no pó de tijolo. “Faz sentido, não é a minha superfície favorita, mas tenho-me mantido fiel ao meu jogo e arranjado formas de vencer na terra batida”.

Sebastian Fanselow nem planeava disputar o Maia Open 2. “Estava a jogar Interclubes em França, no sábado, e pensei que a época estava terminada. No sábado vi que podia jogar o quadro principal aqui, perguntei ao Manuel [Manuel Costa Matos, treinador do alemão] se devia vir ou não, e ele disse ‘ que tens a perder?’. Foi tudo espontâneo. Vim divertir-me e este foi o resultado”, disse, entre sorrisos.

Com equipa técnica portuguesa — além de Manuel, também o preparador físico Luís Lopes ajuda o germânico com sessões online, enquanto viaja com o russo Aslan Karatsen -, ainda que esteja na Maia sozinho devido à decisão de competir de última hora, Fanselow vai defrontar, esta sexta-feira, Andrej Martin, primeiro cabeça de série da prova e tenista que saltou diretamente para a antepenúltima fase da competição. “Ele é um excelente jogador de terra batida, muito forte fisicamente. Espero longas trocas de bola e mesmo que ele não tenha jogado hoje [quinta-feira], está cá desde a semana passada, por isso vem com ritmo. Mas eu sinto-me muito bem também”, afirmou perentoriamente.

Sebastian Fanselow e Andrej Martin discutem um lugar nas meias-finais do Maia Open 2 esta sexta-feira no segundo encontro das 12h55, com transmissão Sport TV.


Total
2
Shares
Total
2
Share