Melhor de dia para dia, Nuno Borges aponta à final do Maia Open

Sara Falcão/FPT

MAIA — Passo a passo, Nuno Borges (número 228 ATP) está mais perto da tão desejada final de singulares do Maia Open I. Esta sexta-feira, o tenista da casa derrotou Kimmer Coppejans por 6-4 e 7-6(4) e apurou-se para as meias-finais com aquela que considerou ter sido a melhor exibição da semana.

“Tenho vindo a ser melhor de ronda para ronda. Este foi o meu melhor encontro da semana, ele também puxou mais por mim porque era um jogador fisicamente exigente e com muita intensidade. Tive de servir muito bem e senti que estive bem na maior parte do encontro e que quando era agressivo comandava o ponto melhor do que ele”, analisou Borges, que com este triunfo garantiu a subida ao 210.º posto do ranking ATP e o estatuto de número três nacional — ultrapassará Gastão Elias, que desistiu lesionado.

Depois de três encontros em que contou com o apoio de muitos amigos e familiares, Nuno Borges espera que o cenário se repita no sábado, quando disputar as meias-finais (segundo encontro das 11 horas), e vive bem com o favoritismo que lhe começa a ser apontado por vários adversários: “Tenho de usar isso a meu favor nos momentos decisivos, mas se não fizer o meu trabalho e der o meu melhor não me serve de nada.”

Para o maiato, de 24 anos, o adversário que se segue dá pelo nome de Geoffrey Blancaneaux. O francês, número 284 ATP, beneficiou da desistência de Gastão Elias para chegar pela primeira vez às meias-finais de um torneio Challenger e nunca esteve no seu caminho em torneios do circuito profissional, mas os dois conhecem-se bem: “Jogámos nos júniores, agora não jogamos há algum tempo mas temos estado nos mesmos torneios e tenho mais ou menos noção do que esperar. Ele deve estar fresco porque hoje só jogou singulares, mas eu também estou a sentir-me bem e estou pronto para um encontro duro.”


Total
60
Shares
Total
60
Share