Antevisão da final de pares do Maia Open pelos protagonistas portugueses

Sara Falcão/FPT

MAIA – Este sábado, logo após se ficarem a conhecer os dois últimos tenistas do quadro de singulares do Maia Open, há uma muito aguardada final de pares, com três dos quatro intervenientes portugueses. Nuno Borges, Francisco Cabral e Gonçalo Oliveira abordaram a final, que não será de todo terreno verde para nenhum deles.

Nuno Borges e Francisco Cabral jogam a sétima final da temporada (e da carreira) na variante, no ATP Challenger Tour, e estão numa série de 11 triunfos consecutivos na categoria – portanto excluindo o Campeonato Nacional Absoluto onde se sagraram bicampeões. Buscam este sábado o terceiro título caseiro – depois do Oeiras e do Braga Open – e o quinto das carreiras.

Nuno Borges: “Parece simples pela nossa estatística nos pares e a verdade é que os pares são assim, simples. São as duas primeiras pancadas e pouco mais. Quando as duas primeiras pancadas, o serviço, a resposta e a primeira bola, estão afinadas é logo meio encontro ganho e acho que os outros sabem que temos vindo a jogar bem”.

“Conhecemos o Gonçalo bastante bem e o Martin tem estado por cá. São dois jogadores que já estiveram no top100 e são sem dúvida os adversários a bater neste torneio. Vamos tentar fazer o que temos vindo a fazer e os detalhes vão decidir”.

Francisco Cabral: “Não vejo porque colocar um limite na nossa fase. A chave é aproveitar o momento de forma e não pensar a longo prazo. Vamos continuar a fazer o que temos vindo a fazer e espero que ganhar seja o desfecho”.

Gonçalo Oliveira joga o embate decisivo ao lado do seu amigo Andrej Martin e procura o 14º troféu na variante (e quarto de 2021) na sua 29ª final. Além de voltar a uma elite que bem conhece.

Gonçalo Oliveira: “O Martin está a fazer uma boa semana, está nas meias-finais de singulares e na final de pares. Estou feliz e amanhã é dar o melhor possível e tentar mais um título. Se acabar com o título sou top100, se acabar sem o título fico a 102”.

“O Nuno está a ter uma excelente semana também, igual ao Andrej. O Cabral está em forma. Acho que é ótimo para o torneio ter na final os primeiros cabeças de série contra os segundos”.


Total
2
Shares
Total
2
Share