Amélie Mauresmo é a nova diretora de Roland-Garros

FFT / Christophe Guibbaud

A ex-número um mundial Amélie Mauresmo é a nova diretora de Roland-Garros. A entrada de Mauresmo para o cargo foi oficializada esta quinta-feira, com a antiga tenista a suceder a Guy Forget.

Mauresmo, que venceu o torneio de juniores em 1996, mas nunca passou dos quartos de final enquanto sénior (chegou a essa fase em 2003 e 2004), chega ao cargo de diretora de Roland-Garros depois de vários anos enquanto treinadora e de também ter sido a capitã da seleção feminina francesa. Em outubro do ano passado, a ex-tenista de 42 anos terminou a ligação com Lucas Pouille, o último tenista que treinou, depois de ter trabalhado com nomes como Marion Bartoli ou Andy Murray.

“Este torneio criou uma vocação em mim”, começou por dizer Mauresmo, que é a primeira mulher na história a ter este cargo. “Comecei a sonhar com o ténis por causa de Roland-Garros. Com quatro anos, sentei-me em frente à televisão e decidi que queria ser tenista por causa de Roland-Garros, acrescentou.

“Fiquei aqui no National Training Centre quando era mais nova, joguei nestes courts. Era o meu espaço de brincar. Este sítio ainda me é muito querido, apesar de estar diferente. Qualifiquei-me com 15 anos e venci o torneio júnior.

“A minha carreira aqui teve muitos altos e baixos, em parte devido a todas as emoções que experienciei quando era mais nova. Quando acabei a minha carreira, vi um lado diferente do torneio. Treinei vários jogadores, fui especialista da televisão, uma adepta e uma telespetadora, também. Não sei se alguém viu o torneio de mais ângulos do que os que eu vi.

“Isto dá-me uma certa responsabilidade e uma ambição desmedida para levar Roland-Garros ainda mais para a frente. Este torneio já é fantástico, extraordinário. Vamos tentar torná-lo ainda melhor”, concluiu.


Total
20
Shares
Total
20
Share