Nuno Borges: “Ganhar um Challenger ainda este ano tem um sabor especial”

Nuno Borges entrou para a história do ténis português ao tornar-se no 10.º jogador a conquistar um título de singulares no ATP Challenger Tour e a vitória em Antália permitiu-lhe alcançar não um, não dois, mas três objetivos, visto que a qualificação para o qualifying do Australian Open e a estreia no top 250 do ranking também ficaram garantidas.

Em declarações ao Raquetc, o tenista maiato de 24 anos revelou toda a alegria: “Acho que não podia estar mais contente. Há muito tempo que imaginava poder ganhar um torneio Challenger e ganhar um ainda este ano tem um sabor muito especial.”

A semana em Antália foi particularmente autoritária, dado que Nuno Borges ganhou os 10 sets que disputou e este domingo registou duas vitórias num dia só. “Foi sempre com o pé no acelerador. Entrei muito bem no primeiro jogo e consegui manter-me na liderança a aplicar o plano de jogo do início ao fim. Sem dúvida que ajudou na final estar disponível fisicamente, mais que o meu adversário, pelo que me pareceu.”

Questionado sobre a celebração no momento da vitória, o novo número 228 do ranking ATP explicou que “o meu objetivo ali [no momento do match point] era ganhar aquele torneio, nada mais. A Austrália veio em forma de bónus. Só me preocupei em como ganhar a final e finalmente quando ganhei foi um misto de alívio e felicidade por ‘desbloquear’ o meu primeiro título Challenger.”

Em relação ao facto de ter garantido a primeira participação da carreira em torneios do Grand Slam, Nuno Borges não escondeu o entusiasmo: “Sinto que vai ser uma ótima experiência para mim. E acho que me vai dar mais vontade de continuar a lutar por mais no próximo ano.”


Total
32
Shares
Total
32
Share