Alemanha opera reviravolta e espera por Suécia ou Rússia nas meias-finais

A ausência de Alexander Zverev não está a causar grandes prejuízos aos seus compatriotas e a seleção alemã prolongou a campanha nas Davis Cup Finals ao reservar esta terça-feira uma vaga nas meias-finais, que se realizam em Madrid. À semelhança dos dois êxitos na fase de grupos, também desta feita a vitória só ficou carimbada no derradeiro duelo de pares, onde se destacaram diante da Grã-Bretanha.

O arranque desta eliminatória correu às mil maravilhas para os jogadores das Terras de Sua Majestade. Daniel Evans (25.º) protagonizou uma avassaladora exibição frente a Peter Gojowczyk (86.º), selou cinco breaks e salvou as três oportunidades do alemão, e no final concluiu o embate nuns supersónicos 57 minutos na forma de 6-2 e 6-1.

Os britânicos tinham motivos para celebrar, mas os alemães começaram a arquitetar uma reviravolta que se viria a consumar e Jan-Lennard Struff (51.º) não brincou frente a Cameron Norrie (12.º), um dos grandes nomes da temporada. O primeiro set esteve à beira de cair para qualquer um dos lados — ambos tiveram oportunidades para o fazer –, mas o jogador alemão teve mais sucesso na fase crucial. Norrie reagiu com a conquista do segundo parcial, mas desabou no terceiro e decisivo e Struff conseguiu chegar ao desfecho pretendido por 7-6(6), 3-6 e 6-2.

Uma vitória para cada lado e o par viria a desempenhar novamente um papel determinante. Embora dois sets tenham bastado para se conhecer o desfecho, os vitoriosos Kevin Krawietz e Tim Puetz não tiveram uma tarefa nada fácil e Joe Salisbury e Neal Skupski perseguiram incessantemente a vitória — até tiveram nas mãos a possibilidade de vencer o primeiro parcial –, mas sem sucesso: no final, os alemães garantiram o apuramento com o resultado de 7-6(10) e 7-6(5).


Total
8
Shares
Total
8
Share