Tenistas não-vacinados não podem competir no Australian Open

É oficial: os tenistas que não estiverem vacinados contra a Covid-19 não vão poder competir na edição de 2022 do Australian Open. A informação foi confirmada esta sexta-feira, dia em que arrancaram de forma oficial os preparativos para mais uma edição do Happy Slam.

Craig Tiley, diretor da Tennis Australia, foi o responsável por confirmar a notícia. No lançamento da competição, Tiley começou por abordar a situação de Novak Djokovic, que continua sem revelar se está ou não vacinado. “Esperamos que o Novak venha. Há muita especulação sobre a vacinação, mas a boa notícia é que a grande parte dos tenistas, masculinos ou femininos, estão totalmente vacinados. O Novak já disse que é um assunto privado para ele, mas também disse sempre que teve muito sucesso aqui. Espero vê-lo cá”, afirmou.

Questionado sobre o facto de Nick Kyrgios ter levantado algumas preocupações nos últimos tempos com a possibilidade dos tenistas não-vacinados poderem jogar, Tiley aproveitou para deixar bem clara a situação: “Deixámos bem claro quando fizemos o primeiro anúncio, há algumas semanas, que para participar neste Australian Open, para entrar em Victoria, precisam de estar totalmente vacinados. Comunicámos isso de imediato ao grupo de jogadores. É a direção que tomamos, de garantir a segurança de todos. Todo o grupo de jogadores entende isso”.

As declarações de Craig Tiley vêm colocar um ponto final na especulação das últimas semanas em relação à situação dos tenistas não-vacinados poderem ou não jogar a próxima edição do Grand Slam australiano. O sérvio Novak Djokovic, número um mundial e recordista de títulos em Melbourne (venceu por nove vezes), é um dos atletas em dúvida, uma vez que não revelou até ao momento o seu status de vacinação.


Total
2
Shares
Total
2
Share