Fibra de campeã: Badosa soma nova vitória e bate à porta das meias-finais do WTA Finals

A temporada genial de Paula Badosa parece não ter limites. Este sábado, a número dez mundial derrotou a grega Maria Sakkari (6.ª WTA) por 7-6[4] e 6-4 e colocou-se a um pequeno passo de alcançar as meias-finais do WTA Finals, em Guadalajara. Badosa somou a segunda vitória em outros tantos jogos e sempre sem ceder sets, o que por si só deveria ser suficiente para consumar o apuramento. Contudo, a espanhola ainda está dependente de outros resultados.

Perante uma tenista que tem vindo a impressionar pela qualidade do serviço, Badosa deu-lhe a provar do próprio veneno. A tenista de 23 anos disparou dez ases, colocou 68% de primeiras bolas e venceu 71% dos pontos jogados no primeiro serviço durante todo o encontro. Para além disso, Badosa conseguiu manter-se perto de Sakkari no número de winners (23 contra 25 da grega) e cometeu muito menos erros (22 contra 49), o que foi crucial para o desfecho.

Depois de ter ameaçado no quarto jogo do primeiro set, a menor cotada consumou o break dois jogos depois, de forma a adiantar-se por 4-2. Sakkari respondeu quando Badosa servia a 5-3 para fechar o set e prolongou a partida, mas o tiebreak foi dominado praticamente por inteiro pela espanhola, que se adiantou mesmo no marcador.

Na segunda partida, Badosa voltou a ser a primeira a quebrar o serviço a Sakkari e também deixou novamente escapar essa vantagem, mas desta feita respondeu com o contra-break e ficou a servir a 5-4 para a vitória. No derradeiro jogo, a tenista espanhola viu um primeiro match point apagado e ainda teve de eliminar um break point antes de fechar o encontro à terceira tentativa.

As contas do grupo Chichén-Itzá:

ClassificaçãoNomeEncontros DisputadosVitóriasDerrotasSets Ganhos-Perdidos
1 🇪🇸 Paula Badosa 2204-0
2🇬🇷 Maria Sakkari2112-2
3🇧🇾 Aryna Sabalenka1010-2
4🇵🇱 Iga Swiatek1010-2

Apesar dos dois triunfos, que em circunstâncias normais seriam suficientes para consumar o apuramento para as meias-finais (como no caso de Anett Kontaveit), Paula Badosa ainda não tem o lugar no top 4 matematicamente assegurado. No entanto, tal poderá ficar resolvido esta madrugada: para a espanhola seguir em frente já nesta jornada, Aryna Sabalenka tem de vencer Iga Swiatek — este cenário garante até o primeiro lugar do grupo a Badosa — ou Swiatek tem de vencer em três sets, cenário que apuraria Badosa, mas não com o primeiro lugar garantido.


Total
2
Shares
Total
2
Share