Voloshchuk, Garcia e Faria entre os apurados no Campeonato Nacional Absoluto

Sara Falcão/FPT

OEIRAS — As campeãs nacionais de sub 14 e sub 16, Angelina Voloshchuk e Maria Garcia, respetivamente, e o vice-campeão nacional de sub 18, Jaime Faria, foram três dos jogadores que esta segunda-feira garantiram o apuramento para os quadros principais de singulares do Campeonato Nacional Absoluto/Taça Guilherme Pinto Basto. Em 2021, a prova rainha do ténis português celebra a sua 97.ª edição com a estreia nos campos cobertos do Complexo de Ténis do Jamor, em Oeiras.

Atual campeã nacional de sub 14, Angelina Voloshchuk (AHEAD CT) já tinha derrotado Gabriela Matos (CAD) por 6-1 e 6-0 na ronda inaugural do qualifying e esta segunda-feira voltou a carimbar um triunfo em parciais diretos, ao vencer a primeira cabeça de série, Beatriz Neves (Ace Team), por 6-2 e 6-1 para reservar um lugar no quadro principal.

O sorteio, realizado no início do dia, ditou que Voloshchuk enfrente outra jogadora que “furou” a fase de qualificação: Analu Freitas, que depois de um bye na primeira eliminatória venceu Sana Garakani (CAD) por 6-4, 2-6 e 6-2. Este é o terceiro campeonato nacional que a tenista do Sport Club do Porto disputa em 2021: foi semifinalista em sub 18 e em sub 16, em ambos os casos depois de passar pelo qualifying.

A outra campeã a selar o apuramento para o quadro principal foi Maria Garcia. Vencedora do Campeonato Nacional de sub 16 neste mesmo complexo, mas nos courts de terra batida, há cerca de dois meses, a jogadora do Clube de Ténis Paço do Lumiar superou Madalena Amil (Tennis Lovers Boavista) por 6-1 e 6-2. Já Carolina Mesquita, que perdeu a final da prova de sub 16 para Maria Garcia, perdeu por 6-1, 3-6 e 7-5 para Beatriz Lopes num duelo entre duas jogadoras do CT Paço do Lumiar.

Também avançaram para o quadro principal Beatriz Santos (CT Lagos), Carolina Azadinho (CIF), Mafalda Guedes (ET Maia) e Maria Pinto (CT Paço do Lumiar).

No torneio masculino, o vice-campeão nacional de sub 18, Jaime Faria (CAD), precisou de três partidas para se desenvencilhar de Nuno Pinheiro (CETO), por 4-6, 6-2 e 6-1, e garantir um lugar no quadro principal. Mais tranquila foi a vitória do seu companheiro de treinos no Centro de Alto Rendimento da Federação Portuguesa de Ténis, Miguel Gomes (federado pelo Clube de Ténis de Alcobaça), que elevou o nível em relação à jornada anterior e venceu Diogo Morais por 6-3 e 6-3.

Gonçalo Falcão, finalista deste mesmo torneio há 10 anos, no Open Village Sports de Guimarães (perdeu a final para João Domingues), derrotou Vasco Prata (CT Paço do Lumiar) por 6-3 e 6-3 e também se apurou para o quadro principal.

Três campeões entre os participantes

Realizado na manhã desta segunda-feira, o sorteio dos quadros principais confirmou os participantes e deu a conhecer os seus percursos, com destaque para os três campeões que ao longo dos próximos dias irão a jogo no Jamor.

Número um nacional e 386 WTA, Francisca Jorge é a primeira cabeça de série e a grande candidata a um título que procura conquistar pelo quinto ano consecutivo. Com apenas 21 anos, a tenista vimaranense está muito perto da melhor classificação da carreira (o 375.º lugar alcançado em setembro) e terá de aguardar pelo encontro entre Mafalda Guedes e Maria Santos para conhecer a sua primeira adversária, dado que enquanto pré-designada beneficiou de um bye na primeira eliminatória.

No Jamor, a atual tetracampeã nacional (aos quatro títulos em singulares junta ainda quatro em pares) apenas na quarta mulher a conquistar por cinco vezes consecutivas o torneio, depois de Leonor Peralta (campeã de 10 edições consecutivas, entre 1967 e 1976, e ainda em 1979, 1980 e 1982), Sofia Prazeres (que conquistou os seus nove títulos entre 1990 e 1998) e Maria João Koehler (2006 a 2013 e 2016).

Sem títulos, mas com presenças em finais, Inês Murta (finalista em 2014, 2015 e 2020) e Matilde Jorge (2019) são, respetivamente, segunda e terceira cabeças de série. O quarto posto na lista de pré-designadas pertence a Patrícia Couto, a campeã nacional de veteranos +30 anos em 2016, 2017, 2019 e +35 anos em 2020 (este ano foi vice-campeã).

A competição masculina é liderada pelo atual detentor do troféu, Nuno Borges. No dia em que atingiu a melhor classificação da carreira no ranking ATP (256.º) e ficou mais perto do que nunca de se tornar no 15.º português a quebrar a barreira dos 250 primeiros na tabela mundial masculina, o tenista maiato de 24 anos também ficou a conhecer o caminho que terá de ultrapassar para defender o título conquistado pela primeira vez há um ano, no Complexo Desportivo do Monte Aventino.

Primeiro favorito, Nuno Borges terá de aguardar pelo desfecho do duelo entre o qualifier Paulo António Silva e Pedro Libório (vencedor do prize-money da Golegã no domingo) para ter definido o seu primeiro adversário.

Na metade inferior do quadro ficou o outro titulado desde Campeonato Nacional Absoluto, Frederico Gil, que procura repetir as vitórias de 2004, 2006, 2007 e 2019 para se distanciar de Pedro Cordeiro, Emanuel Couto, Nuno Marques e Rui Machado — todos com quatro títulos — e juntar-se a José Vilela e João Cunha e Silva no pódio de maiores campeões, com cinco troféus (à frente só Alfredo Vaz Pinto, com sete, e o recordista José Roquette, que venceu por 14 vezes).

Quinto cabeça de série, o ex-finalista do Estoril Open medirá forças com Tiago Fernandes ou Illia Stoliar na segunda ronda.

Aos 36 anos, Frederico Gil também já dá cartas no circuito de veteranos: em 2020 conquistou o título de campeão nacional no escalão de +35 anos e defendeu-o com sucesso em 2021, o ano em que fez história ao tornar-se vice-campeão mundial do escalão em singulares e na competição por equipas e ainda campeão mundial ao lado de José Ricardo Nunes (igualmente presente no Campeonato Nacional Absoluto como líder do ranking nacional).

Aos campeões Borges e Gil e ao vice-campeão Falcão juntam-se ainda outros dois jogadores que já disputaram a final de singulares do Campeonato Nacional Absoluto/Taça Guilherme Pinto Basto: Francisco Cabral (finalista de singulares em 2015, 2016 e 2019 e campeão de pares em 2016, 2019 e 2020) e Tiago Cação (finalista de singulares em 2020 e campeão de pares em 2016).


Total
2
Shares
Total
2
Share