Pedro Araújo satisfeito com a assertividade e entusiasmado com o próximo desafio

BRAGA — Aos 19 anos, Pedro Araújo somou a segunda vitória do ano e da carreira em torneios do ATP Challenger Tour ao levar a melhor sobre Luís Faria na estreia no Braga Open, por 6-2 e 6-4, num encontro que o deixou satisfeito pelo nível a que se apresentou e, sobretudo, pela forma como resgatou um jogo que considerou determinante para selar o triunfo em dois sets.

“Foi um jogo positivo. Estive bastante bem no primeiro set, consegui ser superior, paciente e controlei os pontos, mas no segundo houve mais altos e baixos. A chave do encontro foi o 4-4 do segundo set, em que enfrentei três pontos de break, consegui agarrar-me bem, meti uma esquerda ao longo no primeiro ponto e a partir daí ele falhou mais e eu fui bastante sólido”, revelou o lisboeta na conferência de imprensa.

Apesar de ter enfrentado um compatriota naquela que reconheceu ser “uma boa primeira ronda para ambos”, Pedro Araújo descartou ter sentido pressão adicional por reencontrar Luís Faria — que já tinha derrotado no último encontro entre ambos, em Faro — e afirmou estar a habituar-se “a encarar os encontros apenas como se de mais um se tratasse, em vez de sentir a pressão no momento de o fechar para ganhar o eu primeiro ponto ATP ou a primeira ronda de um Future.” 

Na segunda ronda de um torneio do ATP Challenger Tour pela segunda vez (a primeira foi em Oeiras), o jovem português vai ter pela frente um dos cabeças de cartaz deste Braga Open, o francês Hugo Gaston, terceiro cabeça de série de quem espera “muitos amorties, muito bom timing e muita ‘mãozinha’. Vai ser um jogo difícil, mas vou tentar dar o meu melhor, jogar solto e vamos ver. Estou entusiasmado.”


Total
2
Shares
Total
2
Share