Djokovic emocionou-se e chorou ao deixar escapar o histórico Grand Slam

Novak Djokovic em lágrimas no US Open

A noite que poderia ser inesquecível para Novak Djokovic acabou por sê-lo para Daniil Medvedev, com o tenista russo a derrotar o sérvio por 6-4, 6-4 e 6-4 para conquistar o primeiro título em torneios do Grand Slam e impedir o número um mundial de somar a 28.ª e derradeira vitória consecutiva a este nível para igualar o feito de Rod Laver em 1969, ano em que o australiano se tornou no primeiro (e único) homem a conquistar os quatro eventos no mesmo ano na Era Open.

Afetado pelos nervos, o líder do ranking mundial esteve muito aquém do seu melhor nível e sentiu dificuldades desde os primeiros instantes, pelo que chegado o momento de “dizer adeus” ao capítulo de história que tanto ambicionava — nunca o escondeu desde que a possibilidade ganhou força — não resistiu às emoções.

Ao 6-4, 6-4 e 5-4, quando Medvedev se preparava para servir pela segunda e derradeira vez para o encontro, o público deu uma última ovação a Djokovic e o sérvio, visivelmente emocionado, não resistiu às lágrimas, com a toalha que o cobria a não ser suficiente para ocultar as emoções. Constatado com o fim da investida, que também lhe permitiria isolar-se de Roger Federer e Rafael Nadal no topo da lista de títulos em torneios do Grand Slam (no circuito masculino), Djokovic ainda jogou o primeiro ponto entre lágrimas e voltou a chorar na cerimónia, em que reconheceu o mérito ao adversário e prometeu voltar.

Total
1
Shares
Total
1
Share