Carreño Busta em festa: “É uma medalha de bronze, mas para mim é como se fosse o ouro”

Com vitórias sobre Novak Djokovic e Daniil Medvedev, os dois primeiros classificados no ranking mundial masculino, Pablo Carreño Busta protagonizou uma semana inesperada e quase brilhante que lhe valeu a conquista da medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão, um resultado que o tenista espanhol não hesitou em classificar como o mais importante de toda a carreira.

“É uma medalha de bronze, mas para mim é como se fosse uma de ouro. Não ganhei o torneio, mas é o melhor título da minha carreira”, desabafou o espanhol após derrotar o líder do ranking ATP no encontro de atribuição da medalha de bronze.

A prestação nos Jogos Olímpicos de Tóquio foi o culminar do melhor ano da carreira para Carreño Busta, que há um par de semanas celebrou o 30.º aniversário: desde que o circuito foi retomado, o tenista de Gijón conquistou o primeiro título ATP em casa (em Marbella), o primeiro ATP 500 (em Hamburgo), chegou aos quartos de final de Roland-Garros e às meias-finais do US Open (com o celebre encontro em que Novak Djokovic foi desqualificado).

Total
1
Shares
Total
1
Share