Vondrousova junta-se a Bencic em final improvável nos Jogos Olímpicos

A grande decisão da competição de singulares femininos já tem protagonistas definidas: horas depois de Belinda Bencic, foi a vez de Marketa Vondrousova ultrapassar mais uma barreira e garantir a medalha. Vão encontrar-se na final dos Jogos Olímpicos de Tóquio, num embate pouco esperado.

A jogadora de 22 anos e número 42 mundial — única sem estatuto de pré-designada nas meias-finais — traçou esta quinta-feira uma exibição imaculada para deixar pelo caminho a ucraniana Elina Svitolina (6.ª WTA). Numa partida de sentido único, Marketa Vondrousova precisou de apenas 65 minutos para anotar os esclarecedores parciais de 6-3 e 6-1, sinónimos de medalha.

Ouro ou prata: eis os metais preciosos que a checa poderá levar na bagagem na sua estreia nos Jogos Olímpicos. No dia de atribuição das três medalhas alusivas à prova feminina de ténis, Marketa Vondrousova vai procurar contornar o favoritismo atribuído à helvética Belinda Bencic para subir ao Olimpo.

A final dos Jogos Olímpicos será o segundo embate oficial entre ambas, depois de Vondrousova vencer na terceira ronda do Masters de Miami, em março deste ano. Caso adicione um novo triunfo ao confronto direto, a jogadora da República Checa será a campeã dos Jogos Olímpicos com posição mais baixa no ranking, cinco anos depois da portorriquenha Monica Puig, então na 34.ª posição, festejar no Rio de Janeiro.

A lutar pelo bronze estão as duas travadas nas meias-finais: Elina Svitolina é a favorita à medalha que encerra o pódio, mas para isso terá ainda de passar pela cazaque Elena Rybakina.

Total
15
Shares
Total
15
Share