Feliciano López estreia-se em Maiorca com vitória e junta-se ao “clube dos 500”

A poucos meses de celebrar o 40.º aniversário, Feliciano López viveu um dia especial na relva de Maiorca, onde derrotou o sexto cabeça de série, Karen Khachanov, por 4-6, 6-2 e 6-4, para rubricar o 500.º triunfo da carreira ao mais alto nível.

Número 90 do ranking mundial, o tenista de Toledo (que é o diretor do Mutua Madrid Open) tornou-se no 10.º tenista masculino no ativo a registar 500 vitórias (a estatística só considera encontros em quadros principais de torneios ATP e Grand Slams, deixando de fora os torneios ITF, os Challengers e até os qualifyings do circuito ATP…), depois de Marin Cilic (533), Stan Wawrinka (533), Tommy Robredo (533), Fernando Verdasco (554), Richard Gasquet (556), Andy Murray (678), Novak Djokovic (961), Rafael Nadal (1.027) e Roger Federer (1.247).

Profissional desde 1997, Feliciano López é o tenista masculino com mais participações consecutivas em torneios do Grand Slam — já são 76 — e nos últimos anos tem contrariado o avançar da idade ao apresentar algum do melhor ténis da sua carreira, com destaque para as vitórias no ATP 500 do Queen’s Club, em Londres, em 2017 e 2019.

O feito alcançado esta terça-feira fez dele o sétimo jogador espanhol a entrar no “clube dos 500” desde o começo da Era Open, em 1968: para além dos já referidos Tommy Robredo (533), Fernando Verdasco (554) e Rafael Nadal (1.027), também Carlos Moya (575), Manuel Orantes (722) e David Ferrer (734) o conseguiram.

Manuel Queimadelos/Mallorca Championships

A jornada desta terça-feira também foi sinónimo de boas sensações para o norueguês Casper Ruud (6-3 e 6-4 a Tennys Sandgren) e o russo Daniil Medvedev, que superou Corentin Moutet com 6-4 e 6-2 para confirmar o estatuto de primeiro pré-designado e somar a primeira vitória do ano na relva. Em sentido contrário, Dominic Thiem teve de desistir quando liderava o duelo com o francês Adrian Mannarino por 5-2, devido a uma lesão no pulso, e ficou em dúvida para Wimbledon

Longe dos holofotes principais, mas ainda assim sob o olhar atento de muitos curiosos, o número um mundial Novak Djokovic realizou o primeiro encontro oficial desde a conquista de Roland-Garros, mas em pares, e não se deu nada mal: ao lado do espanhol Carlos Gomez-Herrera, o sérvio salvou dois match points e superou Tomislav Brkic e Nikkola Cacic por 5-7, 6-4 e 13-11 rumo aos quartos de final.

Total
2
Shares
Total
2
Share