Djokovic exulta com “o meu melhor jogo de sempre em Roland-Garros” após derrotar Nadal

Seis anos depois, Novak Djokovic voltou a derrotar Rafael Nadal em Roland-Garros, desta feita para garantir um lugar na final de singulares frente a Stefanos Tsitsipas, e o sérvio não precisou de muito tempo para, sem hesitações, considerar a vitória desta sexta-feira como o melhor encontro da carreira na terra batida francesa, onde está a apenas um passo de erguer pela segunda vez o troféu de campeão.

“Foi o melhor encontro que já joguei em Roland-Garros e está no top 3 dos meus melhores [de sempre] tendo em conta o nível, o adversário e o ambiente. Foi um daqueles encontros de que me vou lembrar sempre”, começou por reconhecer o sérvio depois de superar o arquirrival em quatro horas de muita emoção e que tiveram direito a uma surpreendente exceção por parte das autoridades francesas.

“Não comecei bem e precisei de algum tempo para me ajustar às bolas, mas depois consegui recuperar no primeiro set e encontrei o meu jogo”, acrescentou Djokovic, que perdeu os primeiros cinco jogos do encontro, mas conseguiu recuperar e esteve por cima durante grande parte das horas que se seguiram e pelo meio ainda anulou um set point antes do tie-break da terceira partida, que se revelou crucial para o desfecho do duelo.

Apesar da vitória sobre Nadal ter um significado histórico, o objetivo com que Djokovic viajou para Paris só será alcançado se o sérvio derrotar Stefanos Tsitsipas na final de domingo e apesar do cansaço o sérvio mostrou-se otimista em relação ao Dia D: “Não é a primeira vez que jogo uma meia-final épica e tenho de recuperar para a final. Vou recuperar bem, não preciso de treinar muito e o meu fisioterapeuta vai fazer o seu trabalho. Neste momento não sou a pessoa mais fresca do mundo, mas ainda tenho um dia e meio. Agora vou celebrar a vitória, relaxar um pouco e a partir de amanhã penso no resto. Agora o mais importante é descansar.”

Total
0
Shares
Total
0
Share