Jeu, set et match: o recorde de Fils e a reviravolta épica de Troicki em jornada com horas extra

Jeu, set et match é o resumo diário do Raquetc sobre tudo aquilo que se passa nos courts de Roland-Garros. O primeiro dia de competição ficou marcado pelo afastamento dos portugueses Pedro SousaFrederico Silva, mas também por recordes a serem batidos, reviravoltas épicas a serem feitas e até estreias. Tudo isto, claro está, por entre inúmeras pausas causadas pela chuva que continua a ser imagem de marca nesta altura do ano em Paris.

Começando pelo qualifying masculino, vamos em primeiro lugar à estreia. De quem? Bernabé Zapata Miralles. A fazer o quê? Vencer em torneios do Grand Slam. À quarta tentativa, o número 128 mundial – 14.º melhor cotado na fase de qualificação – não ficou feliz com o comportamento do público e esteve em apuros frente ao wild card Kyrian Jacquet (469.º), mas deu a volta e venceu por 4-6, 6-1 e 6-4. Segue-se agora Dmitry Popko (194.º), que venceu Matteo Martineau (7-6[3], 4-6 e 6-4), no caminho do recém-campeão de Heilbronn.

Seguimos em frente e chegamos ao ponto alto da jornada: a vitória de Arthur Fils. O tenista de 16 anos, que é o 1034.º no ranking ATP, surpreendeu o ex-número 17 mundial, Bernard Tomic, com parciais de 6-7[5], 7-6[1] e 6-3 e tornou-se no primeiro tenista nascido em 2004 a vencer um encontro num Grand Slam. Na segunda ronda, Fils vai tentar prolongar o conto de fadas frente a Marc Polmans (149.º), que venceu Alex Bolt por 6-3, 3-6 e 6-3.

Ainda estávamos bem longe do anoitecer quando outro momento alto da jornada se deu. O sérvio Viktor Troicki, que está a jogar o seu último Roland-Garros, esteve a um ponto de ser eliminado pelo brasileiro Thiago Seyboth Wild (121.º), mas é como dizem: até ao último bater da bola no court, tudo é possível. O ex-número 12 mundial enfrentou o match point no tiebreak do segundo set, já depois de ter recuperado de uma desvantagem de 6-0 e 5-2, e conseguiu sair por cima do desafio. Troicki eliminou o match point, forçou a terceira partida e voltou a ser feliz num segundo tiebreak para confirmar uma reviravolta épica com os parciais de 0-6, 7-6[6] e 7-6[5] e marcar encontro com Aleksandar Vukic (208.º), o carrasco de Frederico Silva.

Olhando ainda ao quadro masculino, destaque para a vitória autoritária de Carlos Taberner (6-1 e 6-2 a Martin Klizan), para o triunfo de Felipe Meligeni Alves sobre o ex-número 26 mundial, Lukas Rosol (6-4, 2-6 e 6-0), e ainda para a derrota do bielorrusso Ilya Ivashka (89.º) às mãos do ex-número 39 mundial, Andrey Kuznetsov, que venceu por 6-4 e 7-6[1].

No que diz respeito ao qualifying feminino, o encontro entre a primeira cabeça de série, Vera Zvonareva, e a britânica Francesca Jones era um dos mais aguardados do dia, mas terminou cedo. Zvonareva venceu por 6-1 e 6-2 em apenas 73 minutos e avançou para a segunda ronda. Também como destaque surgem a vitória da ex-número 26 mundial, Alexandra Dulgheru (hoje no 444.º posto), sobre Yafan Wang (6-3 e 6-1), a reviravolta de Carol Zhao (324.ª) frente a Valeria Savinykh (2-6, 6-2 e 6-0) e a maratona de quase três horas entre Mayar Sherif (120.ª) e Maja Chwalinska (221.ª), que a egípcia venceu por 4-6, 7-5 e 6-2. A jornada, de resto, terminou já com o relógio a chegar à uma hora da madrugada em Paris, menos uma hora em Portugal Continental.

Total
0
Shares
Total
0
Share