Gonçalo Oliveira contente com triunfo: “Precisava de um jogo assim para me motivar”

Sara Falcão/FPT

OEIRAS — O português Gonçalo Oliveira assinou esta terça-feira uma das três vitórias portuguesas no Oeiras Open IV. O tenista de 26 anos derrotou o sétimo cabeça de série, Pedro Cachín (vencedor do Oeiras Open II), em mais de três horas de encontro e passou depois pela sala de imprensa do Jamor.

“Vitória complicada. Tive azar no 5-6 no segundo set porque a 30-30 ele faz uma resposta muito boa que bate na linha e deixa-me sem hipótese de jogar esse ponto. No terceiro set arranquei mal, 3-0 abaixo, recuperei para 5-3, senti umas dores musculares, tive aquele match point em cima da rede que me fez lembrar a Maia quando tive aquele break point. Mas estou feliz pelo resultado. Ter perdido com aquele match point ia custar muito”, começou por analisar o tenista portuense.

“Não há vingança”, disse Gonçalo Oliveira, que tinha sido afastado nas meias-finais do Oeiras Open II por Cachín, que veio a tornar-se campeão. O tenista luso admitiu, no entanto, que “precisava de um jogo assim para motivar” e fez já a antevisão do embate da segunda ronda frente a Timofey Skatov.

“Tinha visto o Skatov jogar no Cazaquistão, ele é um dos jogadores promissores do país. Ele está a jogar bem. Também teve um jogo complicado na última ronda do qualifying e acho que os dois não vamos estar bem fisicamente”, opinou o tenista português acerca de um tenista que “vem com ritmo”. A fechar, Gonçalo Oliveira realçou que não olha para o quadro e garantiu: “Estou a jogar bem suficiente para ganhar a qualquer um”.

Total
0
Shares
Total
0
Share