Embalado pela “melhor vitória da carreira”, Pedro Araújo quer prolongar momento frente a compatriota

OEIRAS — Quando sorteou os nomes para o quadro principal do Oeiras Open 4, Pedro Araújo expirou fundo. Na altura, a sorte não quis nada com o jovem lisboeta, que retirou o próprio nome logo a seguir ao do primeiro cabeça de série, Mathias Borgue, mas 72 horas depois a história foi outra, com o atual campeão nacional de sub 18 a surpreender o tenista francês para carimbar a melhor vitória da carreira — e a primeira em torneios do ATP Challenger Tour.

Foi, por isso, natural vê-lo mais do que satisfeito na conferência de imprensa que se seguiu ao último encontro desta terça-feira: “Estou muito feliz com o resultado. As condições estavam difíceis, muito vento e um vento difícil daquele que há nos outros campos do Jamor, em remoinho, mas consegui adaptar-me melhor do que ele e acho que estive muito bem taticamente.”

Sem hesitar, Pedro Araújo considerou o triunfo somado esta terça-feira como “o melhor da carreira, apesar de em termos de pancadas não ter sido espetacular, até porque as condições de jogo não o permitiram.” E insistiu: “Em termos táticos fiz um jogo muito bom e anulei completamente as soluções dele.”

Por toda a envolvência, os momentos decisivos foram aqueles em que o jovem português apresentou mais dificuldades, mas a forma como deu a volta à situação deixou-o satisfeito: “Era um jogo com uma importância grande, como disseram era a maior vitória da minha carreira, por isso senti um bocadinho o momento na altura de fechar, mas acabei por me conseguir acalmar.”

Apurado para a segunda ronda de um torneio do ATP Challenger Tour pela primeira vez, Pedro Araújo já sabe que na próxima ronda terá pela frente um jogador português: Gastão Elias, que na primeira eliminatória já superou um compatriota (Luís Faria). “Vai ser mais um jogo difícil, sei que o Gastão está a jogar bem e em boa forma, mas tenho as minhas hipóteses e vou para o campo para lutar. Quando comecei a jogar o João e o Gastão eram os dois tenistas principais e lembro-me de os ver por várias vezes na televisão. [Entretanto] já treinei com eles algumas vezes e já nos cumprimentamos, é uma relação diferente, mas são duas pessoas para quem todos devemos olhar porque já estiveram no topo e é onde todos devemos estar.”

Total
0
Shares
Total
0
Share