Nuno Borges: “Senti que estava melhor preparado desta vez”

Sara Falcão/FPT

OEIRAS — Nuno Borges voltou esta terça-feira a competir em solo português e garantiu mais uma das maiores vitórias da carreira. O tenista luso bateu Bernabé Zapata Miralles – recém-campeão em Heilbronn – e garantiu o apuramento para a segunda ronda do Oeiras Open 125. No final do encontro, Borges passou pela sala de imprensa para analisar o embate.

“Sinceramente estava à espera de um encontro extremamente bem disputado e foi, apesar de não ter demorado muito”, começou por dizer o maiato. “Senti que estava melhor preparado desta vez, estou a jogar melhor. Ele também pode estar, mas eu estava numa fase mais confiante e jogar cá fora também me ajuda a procurar outras opções contra o jogo dele. Não sei, entrei com mente aberta e pronto para conseguir ganhar o encontro e correu muito bem”, acrescentou.

O encontro desta terça-feira não foi o primeiro entre Nuno Borges e Bernabé Zapata Miralles, que na época passada se defrontaram na Maia. Na altura, o espanhol saiu por cima e esse encontro ainda estava bem presente na mente do tenista luso: “Ainda tinha uma boa ideia do outro jogo. Foi mais a análise que foi feita dessa vez e não tanto agora, já tinha mais ou menos noção. Nem pensei muito nisso, fiz o meu jogo e senti que estava com outra disponibilidade para jogar, mais confortável na troca de bolas, senti que ele estava mais irritado, eu sabia que ele vinha de outro torneio, desgastado, e tentei tirar proveito disso”.

O crescimento de Nuno Borges esta temporada tem sido notório e o próprio considera estar agora muito confortável a jogar no circuito ITF e cada vez mais no circuito Challenger. “Já interiorizei bem os ITF, já estou muito confortável a jogá-los e começo a estar cada vez mais nestes. Essas mudanças acabam por me dar sensações diferentes, especialmente estes três últimos, mas sinto que tenho vindo a adaptar-me às condições e é mais fácil a estes maiores, em que tenho menos pressão e estou mais confortável com as condições que nos oferecem porque posso preocupar-me apenas em jogar o meu melhor ténis”, disse.

Depois do brilharete no Millennium Estoril Open, o tenista de 24 anos regressou ao circuito ITF com um torneio em Espanha, onde atingiu a final, e mostrou-se satisfeito por ter superado a adaptação complicada: “Assim que entrei em Espanha foi mudar o chip do Estoril, tive de aceitar que voltei à minha realidade e onde tenho estado nos últimos meses. Foi muito complicada a adaptação, mas um bocadinho mais sofrido lá consegui avançar até à final e não tenho razão de queixa porque final é sempre um bom resultado”.

Total
3
Shares
Total
3
Share