Serena Williams: “Estou sempre a jogar, ainda que as pessoas não vejam”

A norte-americana Serena Williams está de regresso ao circuito WTA para disputar o WTA 1000 de Roma, na antecâmara de Roland-Garros. A ex-número um mundial deu uma conferência de imprensa esta segunda-feira, na qual falou sobre o que tem vindo a fazer nas últimas semanas, sobre os Grand Slams que se seguem e ainda os Jogos Olímpicos.

Em relação às críticas que surgem de vários lados sobre as ausências de Serena do circuito, a tenista de 39 anos não mostra estar preocupada com o assunto. “Não penso demasiado em como me vêem de fora. Já me aconteceu noutras alturas em que não joguei tantos torneios e as pessoas me perguntavam se ainda estava no ativo. Estou sempre a jogar, ainda que as pessoas não vejam. Não tenho porque o mostrar. Uma pessoa não deve mostrar as suas cartas”, afirma Williams.

O WTA 1000 de Roma será o primeiro torneio de Serena Williams depois do Australian Open, mas a tenista norte-americana revela estar pronta para o evento italiano: “Está tudo a correr bem, estou bem no court. Tenho treinado, tenho-me preparado para a época de terra batida e estou contente. A verdade é que me encontro fresca, é sempre uma boa notícia começar novamente. Treinei muito nas últimas duas semanas e meia, na academia do Patrick [Mouratoglou], e também treinei muito em terra batida nos Estados Unidos com a minha equipa. Temos tido treinos muito intensos nas últimas semanas”.

Roland-Garros está ao virar da esquina, mas Serena Williams prefere pensar primeiro em Roma. “Agora estou em Roma, um lugar que me encanta e onde me sinto bem. Com sorte poderei disputar alguns encontros aqui e depois haverá tempo para pensar noutro Grand Slam, diz.

A terminar, o tema dos Jogos Olímpicos também foi colocado em cima da mesa e Serena… deixou todas as possibilidades em aberto: “Na verdade, ainda não pensei nada sobre isso. Nunca passei mais de 24 horas sem a minha filha, pelo que é uma boa pergunta. Há inúmeras razões para tomar outra decisão, mas de momento ainda não pensei muito em Tóquio. Supunha-se que os Jogos Olímpicos iam ser no ano passado e agora são este ano. Existe o tema da pandemia e tudo o que isso engloba e por outro lado existem os Grand Slams. São demasiadas coisas. Vou percorrendo o caminho dia a dia e descobrirei quais serão os próximos passos”.

Total
2
Shares
Total
2
Share