Sabalenka desforra-se de Barty e é a nova rainha de Madrid

À terceira foi de vez: Aryna Sabalenka desforrou-se este sábado de Ashleigh Barty, que a tinha vencido por duas vezes nas últimas cinco semanas (uma delas na final em Estugarda), e conquistou o Mutua Madrid Open. A bielorrussa – que nas duas participações anteriores em Madrid tinha sido afastada na primeira ronda – completou uma semana verdadeiramente dominadora com os parciais de 6-0, 3-6 e 6-4 sobre a número um mundial.

Frente a frente na Caja Mágica estavam duas das tenistas em maior destaque na presente temporada, com Barty a disputar a quarta final em 2021 e Sabalenka a terceira. A bielorrussa, de 23 anos, tornou-se na finalista do Mutua Madrid Open mais jovem desde Simona Halep, que atingiu a final em 2014 com 22 anos de idade, e procurava mais história, história essa que acabou por conseguir alcançar. Ashleigh Barty, por outro lado, tinha como fonte de motivação o facto de se poder tornar apenas na segunda jogadora da história a vencer Estugarda e Madrid na mesma temporada, um feito apenas alcançado por Maria Sharapova em 2014.

A terra batida ainda não tinha sido amiga para Sabalenka, que saiu derrotada nas duas finais que disputou na superfície (Lugano, em 2018, e Estugarda, em 2021), mas a número sete mundial fez questão de garantir que desta vez a história seria outra. Com um primeiro parcial absolutamente irrepreensível, Sabalenka aplicou um “pneu” a Barty e colocou-se mais perto do troféu. A quinta cabeça de série esteve implacável no serviço, controlou os pontos com a poderosa pancada de direita e apresentou um jogo variado e com o amortie a revelar-se uma arma surpreendentemente eficaz.

No entanto, tudo mudou na segunda partida. Ainda que o ritmo tenha continuado a ser quase sempre ditado por Sabalenka, a número um bielorrussa deixou de assinar apenas winners e passou a cometer também alguns erros não-forçados que foram devidamente aproveitados por Barty, que elevou o nível do serviço e teve a capacidade de forçar o terceiro set.

No último parcial, as duas pareciam não querer dar o braço a torcer e mesmo quando passaram por dificuldades nos jogos de serviço, recorreram às melhores pancadas de cada uma para sair das situações mais complicadas. O encontro decorria a bom ritmo, com um bom nível de parte a parte, mas a ideia no ar era de que a primeira a ceder poderia ver tudo cair por terra. Numa altura crucial do parcial, com o resultado em 4-4, Barty cedeu. Sabalenka continuou a responder de forma agressiva – mas eficaz – e abriu uma vantagem de 0-30 que se tornou num 0-40 com uma dupla falta da líder do ranking mundial. Perante os três break points, Sabalenka aproveitou e avançou para o 5-4. De seguida, com um jogo de serviço tranquilo, a tenista de 23 anos quebrou a malapata e conquistou o primeiro troféu no “pó de tijolo”.

A coroa de Madrid representa o décimo título da carreira de Aryna Sabalenka, que adicionou mais 34 winners aos 142 com que chegou a esta final e terminou o torneio com uns impressionantes 176. Sabalenka, que se tornou ainda na segunda tenista mais jovem a vencer o Mutua Madrid Open (o recorde é de Petra Kvitova, que venceu em 2011 com 21 anos), vai também assumir um novo máximo de carreira na atualização do ranking de segunda-feira, com uma subida de três lugares que lhe garante o quarto posto e a respetiva estreia no top 5. Noutro dado curioso, Aryna Sabalenka rubricou este sábado a 150.ª vitória no circuito WTA.

Notícia atualizada pela última vez às 19h38.

Total
2
Shares
Total
2
Share