João Sousa: «Espero que esta semana seja um ponto de viragem»

Beatriz Ruivo/FPT

O número um nacional, João Sousa, esteve presente este sábado na cerimónia do sorteio do quadro principal do Millennium Estoril Open. O vimaranense ficou a saber que vai defrontar o britânico Cameron Norrie, com quem vai também fazer parceria no quadro de pares. No final do sorteio, João Sousa analisou o encontro da primeira ronda, abordou a vida dentro das bolhas sanitárias e sem público e confessou que espera que o ATP 250 português possa ser o ponto de viragem na época.

“Já estava a contar os dias para estar de volta aqui a Portugal e à terra batida”, começou por dizer o tenista de Guimarães, em declarações à TVI24. “O sorteio ditou que vou jogar contra Cameron Norrie, um jogador que conheço muito bem. Aliás, é o meu parceiro de pares nesta edição. Portanto, vai ser um encontro difícil. Como digo, é um jogador que conheço bem e que me vai pôr as coisas difíceis, mas vou dar o meu melhor e tentar fazer um grande encontro e vencer”, acrescentou.

O Conquistador reconheceu que o facto de se conhecerem bem “vai jogar a favor dos dois” e deixou elogios a um Norrie que considera ser um “excelente jogador” e que “tem vindo a fazer uma grande época este ano”. No que diz respeito a esta fase da época, Sousa considera estar com “um ascendente positivo” no nível de ténis apresentado.

Com as bancadas do Clube de Ténis do Estoril despidas na edição de 2021, João Sousa acredita ainda assim que vai “sentir o carinho do público e das pessoas através das redes sociais”. Como em todos os outros torneios, os jogadores encontram-se numa bolha sanitária e o vimaranense descreveu o que é viver nessas condições: “Faz parte já da nossa vida de atleta ter que estar dentro de uma bolha, de um ambiente protegido, derivado das circunstâncias que acabam por ser ótimas para nós, porque estamos bastante protegidos. Por outro lado, há muitas coisas que perdemos, como o carinho do público, o calor demonstrado pelas pessoas que gostam de nós e querem que nós ganhemos. São situações que nós temos de adaptar e que temos vindo a adaptar semana após semana. Já faz parte da rotina”.

João Sousa já sabe o que é erguer o troféu do Millennium Estoril Open, depois de o ter feito em 2018. No regresso ao Clube de Ténis do Estoril, o vimaranense não tem tido a melhor temporada em termos de resultados, mas entra na prova com ambição e à espera que este possa ser o torneio que marca o ponto de viragem na temporada. “Qualquer torneio em que compito, tenho a ambição de vencer. Sei que jogando a um bom nível, tenho grandes chances de o fazer. Infelizmente, nos últimos tempos tenho tido algumas mazelas físicas, que não me permitiram estar a 100% e a jogar a um bom nível. Essas mazelas já estão a ficar para trás, felizmente, e portanto agora pouco a pouco, subindo o meu nível de ténis, espero que esta semana seja, porque não, um ponto de viragem nessa situação”, concluiu.

Total
3
Shares
Total
3
Share