Beatriz Haddad Maia demasiado forte para Elizabet Hamaliy

OEIRAS — A primeira portuguesa a entrar em court no quadro principal no Oeiras Magnesium-K Active Ladies Open foi Elizabet Hamaliy (1091 WTA) e no outro lado da rede dificilmente podia pedir pior opositora. A brasileira Beatriz Haddad Maia, atualmente no posto 242 do ranking WTA, mas outrora 58, cedo impôs a sua maior qualidade e potência de bola para triunfar com os parciais de 6-0 e 6-2.

Num duelo de canhotas e com muitos pontos curtos, o primeiro encontro do court Central relativo ao quadro principal do torneio de 25.000 dólares organizado pela Federação Portuguesa de Ténis e pelo CETO (Clube Escola de Ténis de Oeiras) foi resolvido em favor da mais cotada e mais velha das duas em 59 minutos. Beatriz Haddad Maia fez valer as suas credenciais e impôs o seu forte serviço (cinco ases, inúmeros serviços ganhantes e apenas um ponto perdido com a primeira bola de saída) e a sua forte direita para somar 10 jogos consecutivos.

Só a partir do 6-0, 4-0 é que Elizabet Hamaliy – convidada da organização para o quadro principal do torneio –  conseguiu inscrever o seu nome no marcador e logo com um jogo de serviço em branco, selado com um ás. No total, a ucraniana que reside em Portugal há uma década e que procura ainda a oficialização da nacionalidade portuguesa, somou cinco duplas faltas e nunca pareceu confortável no seu golpe de saída.

Depois de ter furado a primeira ronda no torneio de 60.000 dólares realizado no Jamor na semana anterior, Elizabet Hamaliy despede-se da competição de singulares do Oeiras Magnesium-K Active Ladies Open. Já Beatriz Haddad Maia (que em 2020 arrecadou títulos em Montemor-o-Novo, Santarém, Porto e Funchal, além de ter sido finalista na Figueira da Foz), apesar de não figurar no lote das pré-designadas, é uma forte candidata à vitória no próximo domingo. Para já, a tenista de 24 anos encara na segunda ronda a 11ª cabeça de série, a sul-coreana Na-Lae Han.

 

Total
3
Shares
Total
3
Share