Argentina 1-1 Cazaquistão: a magia acontece e mantém as argentinas vivas

A Billie Jean King Cup – anteriormente conhecida como Fed Cup – é conhecida por ser palco para algumas das maiores surpresas e foi exatamente isso que aconteceu esta sexta-feira em Córdoba, na Argentina. A seleção da casa esteve perto de começar da melhor forma a eliminatória frente ao Cazaquistão, mas deixou escapar o triunfo no encontro inaugural. Ainda assim, a Argentina foi a tempo de resgatar o empate num encontro de pura magia.

Tudo parecia correr às mil maravilhas para as cores argentinas no primeiro embate, com Nadia Podoroska (45.ª WTA) a fazer bom uso das suas competências em terra batida para controlar o encontro perante Yulia Putintseva (30.ª WTA). A tenista da casa venceu o primeiro set, liderou o segundo por 3-1 e chegou mesmo a fazer novo break para chegar ao 4-3. No entanto, a partir desse momento não mais voltou ao marcador e Putintseva, com nove jogos consecutivos, confirmou a reviravolta e a vitória por 2-6, 6-4 e 6-0 em uma hora e 58 minutos.

Depois do triunfo ter escapado por entre os dedos da seleção sul-americana, o segundo embate antevia-se ainda mais complicado. Porém, a jovem María Lourdes Carlé (430.ª WTA), de 21 anos, colocou as probabilidades de lado e bateu o pé à favorita Elena Rybakina (23.ª WTA), com os parciais de 6-4, 3-6 e 6-0.

A jovem tenista argentina encheu o court com serviços com muito kickslices de esquerda venenosos. Rybakina teve dificuldades para lidar com as armas apresentadas pela jovem Carlé e apesar de ter conseguido vencer a segunda partida e forçar um terceiro parcial, não teve argumentos para contrariar um set verdadeiramente irrepreensível por parte da menor cotada. Carlé terminou o encontro com 17 winners, apenas menos três do que Rybakina, e com muito menos erros do que a cazaque (20 contra 41).

Com a eliminatória totalmente em aberto, este sábado é a hora de todas as decisões. O primeiro encontro do dia vai ser disputado entre Nadia Podoroska e Elena Rybakina, sendo que a vencedora oferece um “match point” à sua respetiva seleção. O segundo embate do dia, ainda na variante de singulares, vai colocar María Lourdes Carlé em rota de colisão com Yulia Putintseva. Para fechar a eliminatória, Carlé e Podoroska fazem equipa para defrontar Yaroslava Shvedova Anna Danilina nos pares.

Total
1
Shares
Total
1
Share