Nuno Borges derrota Gastão Elias e atinge primeira final em torneios Challenger

OEIRAS — Depois dos primeiros quartos de final e das primeiras meias-finais, a primeira final: Nuno Borges (378.º do ranking ATP) derrotou Gastão Elias (323.º) para inscrever o nome na final de singulares do Oeiras Open, a primeira da carreira em torneios do ATP Challenger Tour.

No quarto frente-a-frente em torneios do circuito internacional (a que se acrescentam outros dois em provas nacionais), Nuno Borges resistiu às várias interrupções causadas pela chuva deu a volta ao marcador para somar a terceira vitória (quinta com os dois encontros nacionais) contra o compatriota, com os parciais de 4-6, 6-2 e 6-3 após 2h15.

Num dia seriamente complicado pela chuva, que obrigou os dois portugueses a recolherem por três vezes aos balneários (duas delas quando já tinham concluído a fase de aquecimento), Borges foi o primeiro a conseguir uma quebra de serviço, logo no jogo inaugural, mas Elias ameaçou de imediato o contra-break e ao sexto jogo devolveu-o para reentrar no encontro. Com o mau tempo a ameaçar constantemente uma nova interrupção, a primeira partida continuou e virou para o lado do mais velho dos dois tenistas “da casa”, que se adiantou no marcador.

Depois de mais uma interrupção, a meia-final foi retomada e voltou a ser Borges quem entrou melhor. Desta vez, o maiato de 24 anos fez não um, mas dois breaks (depois de negar duas oportunidades a Elias no jogo de serviço anterior) para assumir as rédeas do encontro, que teve contornos relativamente semelhantes no parcial decisivo: o tenista da Lourinhã voltou a ser o primeiro a ameaçar a quebra de serviço, mas Borges desenvencilhou-se do ponto de break ao 0-1 e partiu novamente para o ataque: primeiro com uma quebra de serviço ao 2-2, depois ao 5-3, o campeão nacional absoluto consumou o apuramento para a final.

Com 24 anos, Nuno Borges tornou-se no 13.º tenista português a garantir o apuramento para uma final de singulares no ATP Challenger Tour. E poderá ter como adversário mais um compatriota, caso Gonçalo Oliveira derrote o argentino Pedro Cachin na última meia-final.

Para além da decisão de singulares, o maiato também vai discutir o título de pares ao lado do amigo Francisco Cabral. Devido ao mau tempo e aos desenvolvimentos da jornada, o encontro foi adiado para domingo, em horário ainda por definir.

Total
9
Shares
Total
9
Share