Gastão Elias e uma primeira ronda quase perfeita: “Sabia que ele me podia complicar as coisas”

Sara Falcão/FPT

OEIRASGastão Elias deixou o aviso logo após a derrota na final do primeiro Oeiras Open e reagiu à altura, ao selar o apuramento para a segunda ronda do segundo Challenger 50 organizado no Estádio Nacional do Jamor com uma das melhores exibições dos últimos meses. Em conferência de imprensa, o português voltou a tecer muitos elogios ao argentino Marco Trungelliti e explicou o que fez a diferença no duelo desta terça-feira.

“Acabou por ser um encontro tranquilo, mas é sempre um daqueles encontros em que há perigo à espreita. Como disse no outro dia, ele é um jogador muito talentoso e que tem muitas vitórias — e boas vitórias. É completo e isso fez com que eu tentasse entrar da melhor forma possível, porque sabia que se ele saísse na frente do marcador podia crescer em confiança e podia complicar bastante as coisas”, começou por revelar o português de 30 anos após afastar o sexto cabeça de série, com os parciais de 6-1 e 6-4.

“No outro dia disse o que disse porque já o conheço há muitos anos e sei do que ele é capaz”, frisou Gastão Elias. “É dos poucos jogadores do torneio em que mesmo eu jogando o meu melhor posso perder. Não digo isto de qualquer jogador que está aqui e como disseste já esteve às portas do top 100, o que não é por acaso. Todos no circuito o conhecem como um jogador com muito talento e muito perigoso, todos entram no campo com muita cautela porque sabem do que é que ele é capaz e foi isso que eu fiz hoje.” 

Ex-número 57 ATP, o jogador da Lourinhã admitiu que “foi bom ter começado o torneio com uma vitória como esta, porque depois de perder uma final em casa sabia que reentrar no court ia ser muito difícil” e também fez a antevisão ao duelo da segunda ronda, na qual vai reencontrar o espanhol Carlos Gimeno Valero, de apenas 19 anos.

“Joguei com ele no ITF de Sintra, nos quartos de final depois de ter feito final na semana anterior, e perdi, portanto obviamente não vai ser fácil. Estou muito melhor agora do que estava em Sintra, mas ele também. Ganhou um Challenger há pouco tempo [nas Canárias], portanto também está claramente melhor. Vai ser interessante, é mais um rapaz que vem de fazer finais do Grand Slam nos juniores”, disse o pupilo de Guilherme Balboa.

Total
1
Shares
Total
1
Share