Luís Faria vende cara a derrota na última ronda do qualifying do Oeiras Open

Sara Falcão/FPT

OEIRAS — Uma semana depois, Luís Faria (816.º do ranking ATP) voltou a ser derrotado na ronda de acesso ao quadro principal de singulares do Oeiras Open, novamente após oferecer muita resistência a um dos favoritos.

Desta vez, o jogador natural de Guimarães — que já há vários anos faz parte do Centro de Alto Rendimento da Federação Portuguesa de Ténis — cedeu pelos parciais de 6-3 e 7-6(4) para o francês Evan Furness (331.º), um dos tenistas em melhor forma e com mais ritmo entre os que estão em Portugal.

Luís Faria começou o encontro a quebrar o serviço do adversário, mas Furness (que vem dos quartos de final na última semana) reagiu rapidamente para agarrar a liderança. No entanto, o jovem português de 21 anos manteve-se sempre na luta e apesar de ter perdido a primeira partida nunca saiu do encontro, como aliás demonstrou no arranque do segundo set.

Novamente com várias quebras de serviço nos primeiros jogos, o parcial desenrolou-se com o equilíbrio como nota dominante e os jogos de serviço a terem menos peso do que o habitual, como se voltou a ver na reta final: a servir a 5-5, Faria perdeu o serviço e ficou de caras com a derrota, mas reagiu de forma exímia e voltou a quebrar o serviço a Furness para forçar um tie-break. No “tira-teimas”, o francês colocou-se rapidamente a vencer por 5-2 e Faria ainda reagiu com dois pontos consecutivos, mas a vitória acabou mesmo por sorrir a Furness.

Com a derrota, Luís Faria despede-se da variante de singulares do Oeiras Open, que passa a ter no jovem Henrique Rocha a única esperança de haver mais um português a “furar” a fase de qualificação.

Total
1
Shares
Total
1
Share