ATP estuda tratamento preferencial para jogadores que recebam a vacina

A Associação de Tenistas Profissionais (ATP) está a planear pôr em prática um plano que dê benefícios aos jogadores que recebam a vacina contra a covid-19. A medida surgiu na sequência das declarações de vários tenistas, que durante o ATP Masters 1000 de Miami revelaram algum ceticismo em relação à vacinação, em particular por no imediato não lhes dar nenhum benefício dentro das bolhas criadas pelos torneios.

De acordo com o The Telegraph, o ATP Masters 1000 de Monte Carlo planeia oferecer tratamento preferencial aos jogadores que já tenham sido vacinados.

Todas as pessoas que cheguem ao recinto do torneio e já tenham recebido a vacina contra a covid-19 ficarão isentas do período de isolamento até aqui obrigatório enquanto aguardam pelo resultado do teste feito à chegada ao torneio, uma medida importante uma vez que nos últimos meses os tenistas têm ficado impedidos de realizar o primeiro treino de adaptação (ainda mais importante quando viajam semana após semana).

Mais importante ainda é que, de acordo com o mesmo jornal, este tratamento preferencial permitirá aos já vacinados ficarem isentos de serem considerados “contactos de alto risco” caso algum jogador/treinador/outro elemento envolvido no torneio teste positivo à covid-19. Ou seja, uma situação como a que aconteceu no US Open, com um quarteto de jogadores franceses, não se repetirá caso já tenham sido vacinados.

Atualmente, o circuito ATP já tem uma lista com algumas isenções para os jogadores que tenham testado positivo à covid-19 num período recente.

Desta forma, a ATP (e a WTA, que está a tomar medidas semelhantes) espera encorajar a vacinação de grande parte dos protagonistas do circuito mundial masculino.

Total
1
Shares
Total
1
Share