Gastão Elias: “Há uma pressão extra porque quero aproveitar esta oportunidade”

Sara Falcão/FPT

OEIRAS — Foram precisas duas horas e meia, mas Gastão Elias conseguiu desenvencilhar-se daquele que foi um dos melhores tenistas juniores dos últimos anos para entrar com uma vitória no quadro principal de singulares do Oeiras Open. Somada a vitória, o ex-top 60 ATP admitiu ter ficado surpreendido com o ténis do adversário e não escondeu que há uma pressão extra no ar.

“O meu adversário surpreendeu-me bastante pelo nível apresentado hoje”, disse Gastão Elias sobre Chun-hsin Tseng, que enquanto júnior conquistou os torneios de Roland-Garros e Wimbledon e chegou a número um mundial. “Foi muito agressivo do início ao fim e isso dificultou-me em termos táticos, porque quando queria ser agressivo ele conseguia sempre ser mais. No geral foi um bom encontro e mesmo que tivesse perdido saía feliz do campo, mas fico contente por ter acrescentado a vitória à performance de hoje.”

No regresso à terra batida pela primeira vez desde o Maia Open (em termos competitivos, porque foi nesta superfície que realizou grande parte da temporada), o tenista português de 30 anos acrescentou que “tendo em conta que amanhã não jogo, foi bom ter um encontro destes, uma primeira ronda difícil para abrir a pestana. Amanhã vou estar um pouco dorido, porque certos músculos já não estavam habituados a escorregar tanto, mas foi ótimo.”

A competir pela primeira vez no circuito Challenger este ano, Gastão Elias não escondeu que a oportunidade que lhe foi dada esta semana — e na próxima, na qual tudo indica que voltará a ser convidado para o quadro principal — chegou um “peso” anexado: “Tenho noção de que estes torneios são uma excelente oportunidade para subir no ranking, portanto há a pressão extra de querer aproveitar a oportunidade que a FPT me deu, em conjunto com a ATP.”

Para continuar a fazê-lo, e somar mais três pontos aos quatro que já conquistou, terá de passar pelo espanhol Roberto Ortega Olmedo, que esta terça-feira eliminou o norte-americano Ernesto Escobedo, quarto favorito, por 7-5 e 6-4. “Vai ser um encontro totalmente diferente do de hoje, porque o Roberto mete muitas bolas dentro e tem muito menos potência nos golpes do que o Tseng, mas não deixa de ser um jogador complicado. É sempre perigoso defrontar jogadores que falham muito pouco porque tens de estar sempre com a atenção e a energia lá em cima, caso contrário qualquer falha tua em termos físicos ou mentais pode virar o jogo a qualquer momento. Mas acredito que se estiver a um nível bom tenho grandes hipóteses de vencer.”

Total
1
Shares
Total
1
Share