Francisco Cabral quer aproveitar subida de nível para atingir novas metas

Sara Falcão/FPT

Francisco Cabral entrou com o pé direito no Oeiras Open ao carimbar a primeira vitória da carreira no circuito Challenger e quer aproveitar a subida de nível dos últimos tempos para atingir novos patamares.

Em declarações após somar a melhor vitória da carreira, ao aplicar os parciais de 6-2, 5-7 e 6-4 a Ivan Nedelko (369.º), o portuense não escondeu a satisfação: “Foi uma vitória muito boa. Ele é um jogador muito consistente, já ganhou variadíssimos Futures em que eu estive presente, por isso sabia mais ou menos o que esperar dele. Fiz um primeiro set muito bom, muito sólido, e deixei-o sem soluções. No segundo estava tudo a correr bem, mas acho que não estava pronto para ganhar em dois frente a um jogador deste nível e tenho de estar. O braço tremeu e deixei-me afetar, mas fui à casa de banho e consegui reorganizar-me.”

Duas semanas depois de ter igualado o melhor resultado da carreira em singulares, ao chegar aos quartos de final do ITF de 25.000 dólares de Vale do Lobo, no Algarve, Francisco Cabral mostrou-se satisfeito com a subida de nível dos últimos tempos, mas quer mais: “Ganhar um encontro a este nível é muito bom, mas se quero jogar estes torneios tenho de estar com nível e sinto que o meu tem vindo a subir.”

Se este domingo se apurou para a segunda e última ronda do qualifying, a verdade é que até aos últimos minutos antes do fecho das inscrições Francisco Cabral não tinha garantida a participação na variante de singulares, mas a persistência deu frutos: “Estava mais ou menos 15 lugares fora, mas com as restrições de viagens, testes de covid, etc, sabia que havia a possibilidade de entrar assinando on site. Vim para cá cedo, logo na quarta-feira, por isso preparei-me bem e estava pronto para jogar caso conseguisse entrar.”

A separá-lo da primeira presença em quadros principais de torneios Challenger, o por três vezes vice-campeão nacional absoluto vai ter como adversário Evan Furness, francês que há um mês derrotou Gastão Elias na final do Vale do Logo Open Magnesium-K Active e que este domingo travou o também português Miguel Gomes na primeira ronda. “Conheço-o perfeitamente já há muito tempo. Sou amigo dele e sei perfeitamente a forma em que está. Sente-se confortável, já ganhou várias rondas e fez bons resultados em Challengers, portanto sei que o nível vai ser alto. Já tive oportunidade de falar com o Vasco Antunes, o treinador do Miguel, e vou preparar-me bem.”

Total
2
Shares
Total
2
Share