Andy Murray lesiona-se e desfalca ainda mais o Masters 1000 de Miami

Sem Roger Federer, sem Rafael Nadal, sem Novak Djokovic e, agora, sem Andy Murray: o tenista britânico lesionou-se durante a preparação para o Miami Open e anunciou esta terça-feira a desistência do primeiro Masters 1000 da temporada, para o qual tinha recebido um wild card.

Campeão em 2009 e 2013 e finalista em 2012 e 2015, o britânico de 33 anos chegou a Miami na última quarta-feira e estava pronto para competir, até que se lesionou na virilha direira durante o sono: “Não senti nada durante os treinos e fiz algum trabalho de ginásio na sexta-feira, mas às três da manhã acordei a sentir uma dor na virilha direita e quando me levantei tive algumas dificuldades em andar. Não faço ideia em relação ao que aconteceu, é uma daquelas coisas estranhas”, explicou.

Sem treinar desde sexta-feira, Murray acrescentou que “as dores têm melhorado”, mas não de forma suficiente para recuperar a tempo de entrar em ação na quarta-feira, frente ao sul-africano Lloyd Harris (recém finalista do ATP 500 do Dubai, nos EAU).

Com esta desistência, o Miami Open (que já era o primeiro Masters 1000 desde Paris-Bercy 2004 a não contar com nenhum dos Big Three) fica com apenas um campeão de torneios do Grand Slam em prova no quadro masculino: o croata Marin Cilic, que nem sequer faz parte da lista de cabeças de série.

No quadro feminino, apesar da ausência de Serena Williams, a situação é bem diferente: Ashleigh Barty, Jelena Ostapenko, Angelique Kerber, Victoria Azarenka, Venus Williams, Simona Halep, Iga Swiatek, Petra Kvitova, Svetlana Kuznetsova, Bianca Andreescu, Sloane Stephens, Garbine Muguruza, Sofia Kenin e Naomi Osaka contam todas com troféus do Grand Slam nos currículos.

Total
2
Shares
Total
2
Share