Gonçalo Oliveira sofre reviravolta e cede na estreia em Gran Canária

Beatriz Ruivo/Lisboa Belém Open

Gonçalo Oliveira esteve esta segunda-feira muito perto de garantir o acesso à segunda ronda do Challenger de Gran Canária, em Espanha. O tenista portuense esteve em vantagem frente a Filip Horansky (170.º ATP), mas permitiu a reviravolta e acabou derrotado por 1-6, 6-4 e 6-1.

Atualmente no 291.º lugar do ranking ATP, o tenista português entrou a todo o gás no encontro. A servir muito bem durante todo o set, Gonçalo Oliveira transportou a qualidade também para os jogos de resposta e, num abrir e fechar de olhos, estava a servir a 5-0 para vencer a primeira partida. Horansky ainda conseguiu quebrar o serviço ao portuense e reduzir para 5-1, mas o tenista de 26 anos fez o contra break e adiantou-se no marcador.

A jogar a bom nível, o tenista natural do Porto não conseguiu ainda assim conter a resposta de Horansky. O eslovaco chegou ao break a meio do segundo parcial e, apesar de Gonçalo Oliveira ter conseguido responder e igualar o set a quatro jogos, uma segunda quebra de serviço permitiu ao melhor cotado ficar a servir para o fecho do set. Ao quinto set point, e já depois de ter salvo três break points, Horansky igualou o marcador e forçou uma decisiva partida.

A terceira partida trouxe o melhor nível do tenista eslovaco, que viu Gonçalo Oliveira adiantar-se por 1-0 antes de conseguir seis jogos consecutivos e, consequentemente, a vitória no encontro. Apesar da boa réplica, o tenista português não conseguiu discutir o último parcial e acabou por ceder ao fim de duas horas e três minutos.

Derrotado na variante de singulares, Gonçalo Oliveira vai ainda competir no quadro de pares nas Ilhas Canárias. O portuense faz dupla com o polaco Karol Drzewiecki, defende o estatuto de primeiro cabeça de série e, ironia do destino, vai voltar a medir forças com Filip Horansky. O eslovaco faz dupla com o compatriota Alex Molcan e o sorteio ditou novo confronto com o português na primeira ronda.

Total
1
Shares
Total
1
Share