Baez, Brooksby e Kwon: os campeões da semana no circuito Challenger

Este domingo, o circuito Challenger conheceu mais três campeões em 2021. Os torneios em Concepción, Biella e Potchefstroom chegaram ao fim e resultaram no primeiro troféu da temporada para os três vencedores.

Dove Men+Care Challenger Concepcion

No Chile, a cidade de Concepción recebeu um torneio durante a semana, no qual participou o português João Domingues (176.º), que acabou por cair na segunda ronda frente a Alejandro Tabilo (167.º). O argentino Sebastian Baez (312.º), que realizou a estreia em 2021, foi o vencedor do torneio, numa final conturbada e que teve mesmo de ser interrompida. Baez, com 20 anos e um mês, tornou-se ainda o terceiro tenista argentino mais jovem a vencer um Challenger, superado apenas por Juan Martín Del Potro (17 anos e um mês) e Federico Delbonis (18 anos e dez meses).

O tenista argentino iniciou a caminhada com uma vitória por 6-4 e 6-1 sobre o wild card Gonzalo Lama (645.º). Na segunda ronda, Baez encontrou o quinto cabeça de série, o colombiano Daniel Elahi Galan Riveros (115.º) e não se encolheu, tendo ganho por 7-5 e 6-2 e assegurado um lugar nos quartos de final. Um novo cabeça de série cruzou-se com Baez e o argentino voltou a levar a melhor, desta feita sobre Hugo Dellien (112.º), quarto melhor cotado e que foi despachado com uns esclarecedores 6-1 e 6-1. Nas meias-finais, Baez afastou mais um pré-designado, o eslovaco Andrej Martin (103.º e segundo cabeça de série), sem ceder qualquer set. O jovem de 20 anos venceu por 6-4 e 6-3 e garantiu um lugar na final.

Na grande decisão, Sebastian Baez encontrou o compatriota Francisco Cerundolo (146.º), que atingiu também a primeira final da época. Cerundolo começou o torneio com uma vitória difícil sobre o compatriota Andrea Collarini (204.º) e as dificuldades só aumentaram daí em diante. Na segunda ronda, o tenista de 22 anos derrotou o regressado Nicolas Jarry por 4-6, 6-4 e 7-5 e avançou para os quartos de final, onde bateu o brasileiro Thiago Seyboth Wild (117.º), sexto cabeça de série, por 6-3 e 7-6(4). Nas meias-finais surgiu a vitória mais fácil para Cerundolo, que despachou Alejandro Tabilo por 6-1 e 6-1.

Chegada a grande final, Baez procurava o primeiro título no circuito Challenger. Cerundolo, por outro lado, realizou uma temporada de 2020 a bom nível e venceu três torneios na categoria, pelo que a maior experiência nos grandes momentos podia ser decisiva. O encontro chegou a estar em risco, já que teve de ser suspenso momentaneamente devido a uma invasão de adeptos de um clube da região ao complexo, na sequência de um protesto. Depois de resolvido o problema, os dois tenistas puderam voltar ao court e Sebastian Baez pôde festejar a conquista mais importante da carreira até ao momento, com um triunfo por 6-3, 6-7(5) e 7-6(5).

A vitória permite a Baez estrear-se no top 300, já que subiu do 312.º posto para o 254.º na hierarquia mundial. Cerundolo, que começou a semana no 146.º lugar, subiu 11 posições e atingiu um novo máximo de carreira na 135.ª posição.

PotchOpen II

Pela segunda semana consecutiva, a cidade de Potchefstroom, na África do Sul, recebeu um torneio do circuito Challenger. Depois do francês Benjamin Bonzi (137.º) ter ganho a primeira prova, o norte-americano Jenson Brooksby (315.º), que utilizou o ranking protegido para jogar o quadro principal, sagrou-se vencedor.

O jovem de 20 anos, que esta temporada já foi derrotado por Gastão Elias nas meias-finais do ITF de 25 mil dólares de Vilhena, começou a semana a recuperar de um set de desvantagem frente ao qualifier Ryan Peniston (380.º). A vitória por 6-7(7), 6-2 e 6-2 colocou Brooksby na segunda ronda, onde o norte-americano bateu o pé ao campeão da semana anterior, Benjamin Bonzi, com os parciais de 6-3, 5-7 e 6-3. Nos quartos de final, Brooksby voltou a derrotar um cabeça de série, desta feita o turco Cem Ilkel (214.º e sétimo melhor cotado), por 6-1 e 6-4. Nas meias-finais, o jovem de Sacramento bateu o qualifier Lucas Miedler (308.º) por 7-5 e 6-2 e assegurou um lugar na final.

Quem também atingiu a final com Brooksby foi o russo Teymuraz Gabashvili (279.º). Aos 35 anos, o antigo número 43 mundial jogou a primeira final desde janeiro de 2019, quando se sagrou vice-campeão num ITF de 25 mil dólares em Kazan, na Rússia.

No caminho para a final, Gabashvili começou por afastar o sul-africano Alec Beckley por 2-6, 6-1 e 6-1. Na segunda ronda, o russo derrotou o norte-americano Ulises Blanch (252.º) por 6-4, 1-6 e 6-3 e tanto os quartos de final como as meias-finais também obrigaram Gabashvili a jogar três parciais. O adversário dos quartos de final foi o australiano Akira Santillan (266.º), que o veterano derrotou por 7-6(5), 4-6 e 6-3. Seguiu-se depois o britânico Liam Broady (191.º), com Gabashvili a recuperar da desvantagem de um set para vencer por 1-6, 6-4 e 6-4.

Na grande final, tudo começou da melhor forma para o tenista russo, que venceu o primeiro parcial de forma convincente e parecia bem encaminhado para o primeiro título desde 2018. No entanto, Brooksby respondeu, venceu o segundo parcial e Gabashvili não teve reação. Depois de jogar encontros a três parciais durante toda a semana, o experiente tenista de 35 anos não conseguiu reunir condições para oferecer resistência a Brooksby na terceira partida e o norte-americano aproveitou para fechar o encontro em 2-6, 6-3 e 6-0 e conquistar o primeiro título no circuito Challenger.

Em termos de ranking, a presença na final vale a Teymuraz Gabashvili a subida de 32 posições, pelo que o russo é agora o 247.º classificado da hierarquia mundial. Brooksby, por sua vez, regista uma subida de 66 lugares e ocupa agora a 249.ª posição.

Biella Challenger Indoor 2

Também a cidade italiana de Biella recebeu um Challenger pela segunda semana consecutiva, depois do ucraniano Ilya Marchenko (212.º) se ter sagrado campeão no primeiro torneio. Esta semana, o sul-coreano Soonwoo Kwon (97.º) sucedeu a Marchenko e sagrou-se campeão.

A defender o estatuto de terceiro cabeça de série, Kwon começou a semana a derrotar o experiente Jason Jung (136.º) por 6-3 e 6-4. Na segunda ronda, o 97.º classificado da hierarquia mundial venceu o italiano Roberto Marcora (182.º) por 6-2 e 6-2 e, nos quartos de final, voltou a vencer de forma tranquila, desta vez frente a Yannick Maden (175.º) e por 6-2 e 6-1. Nas meias-finais, Kwon enfrentou as primeiras dificuldades e precisou de três sets para superar o russo Evgeny Donskoy (123.º), oitavo cabeça de série e ex-top 70 mundial. O sul-coreano triunfou por 6-3, 6-7(4) e 6-1 e garantiu a presença na final.

Na luta pelo troféu, Soonwoo Kwon teve de medir forças com o prodígio italiano Lorenzo Musetti (122.º), sétimo cabeça de série. O transalpino teve uma caminhada semelhante à de Kwon até à final, tendo apenas perdido um set nas meias-finais. Na primeira ronda, Musetti venceu o compatriota Stefano Napolitano (280.º) por 7-5 e 6-3, e deu seguimento ao bom momento com uma vitória sobre Lukas Lacko (186.º) por 6-4 e 6-3. Nos quartos de final, o jovem de 18 anos derrotou Ernests Gulbis (187.º) por 6-2 e 6-4 e, nas meias-finais, superou o duro Andreas Seppi (108.º), quarto cabeça de série, por 3-6, 6-3 e 6-4.

Com ambos a atravessar um bom momento e com resultados parecidos no caminho até à final, pareciam estar reunidos todos os ingredientes para um grande encontro entre Kwon e Musetti. No entanto, a prática mostrou algo bem diferente. O sul-coreano dominou o encontro praticamente de início a fim e Musetti não conseguiu entrar na discussão do resultado. Kwon acabou por vencer de forma tranquila, por 6-2 e 6-3, e conquistou o primeiro título da temporada, o terceiro no circuito Challenger e o primeiro desde 2019.

A conquista do torneio italiano vale a Soonwoo Kwon a subida de 16 lugares no ranking ATP, pelo que o tenista de 23 anos ocupa agora a 81.ª posição. Lorenzo Musetti também continua a subir e, aos 18 anos, está mais perto de se estrear no top 100. O italiano sobe sete lugares e é agora o 115.º classificado da hierarquia mundial.

Total
1
Shares
Total
1
Share