Medvedev alcança segunda final em torneios do Grand Slam

Daniil Medvedev qualificou-se, esta sexta-feira, para a final de singulares do Australian Open ao derrotar Stefanos Tsitsipas para marcar encontro com o número um mundial, Novak Djokovic, na final de domingo (08h30 de Portugal Continental).

Com o 25.º aniversário celebrado recentemente, o tenista russo chegou a Melbourne em estado de graça depois das vitórias no Masters 1000 de Paris e no ATP Finals a fechar a última temporada e está a começar 2021 na mesma forma: duas semanas depois de ter sido uma peça fundamental no sucesso da Rússia na ATP Cup, Medvedev somou esta sexta-feira a 20.ª vitória consecutiva ao aplicar os parciais de 6-4, 6-2 e 7-5 a Tsitsipas no sétimo encontro entre ambos.

Depois de uma derrota para o grego no “Masters” de 2019, o russo retomou o ascendente que lhe tinha permitido ganhar os cinco primeiros encontros entre ambos e carimbou uma exibição sublime, a roçar o modo vídeo-jogo: esteve praticamente irrepreensível na pancada de serviço, dando a Tsitsipas raríssimas janelas de oportunidade para inverter o rumo dos acontecimentos (a primeira aconteceu na segunda metade do terceiro set e a inversão de papéis teve curta duração) e fez a diferença nos pontos curtos, conseguindo um ascendente claro nas trocas de bolas inferiores a cinco pancadas.

Apurado para a final de um torneio do Grand Slam pela segunda vez na carreira, Daniil Medvedev vai tentar fazer o que não conseguiu no US Open de 2019. O obstáculo, esse, será ainda mais difícil de ultrapassar: Novak Djokovic, número um do mundo, campeão em título e recordista de títulos do circuito masculino no Australian Open (são oito, com uma eficácia de 100% em finais em Melbourne Park).

O frente a frente entre ambos regista quatro vitórias para Medvedev e três para Djokovic, com as três vitórias do russo a ocorrerem nos últimos quatro encontros (Masters 1000 de Monte Carlo e Cincinnati em 2019 e ATP Finals em 2020).

Total
3
Shares
Total
3
Share