Naomi Osaka não sabe perder em quartos de final de torneios do Grand Slam

Naomi Osaka venceu o primeiro encontro de uma jornada muito aguardada na Austrália e confirmou a tendência: aos 23 anos, a tenista japonesa ainda não sabe o que é perder a partir do momento em que chega aos quartos de final de um torneio do Grand Slam.

Na madrugada desta terça-feira, a número três mundial colocou um ponto final na histórica caminhada da sensação Su-wei Hsieh ao vencer por claros 6-2 e 6-2, num duelo em que ultrapassou a adversária asiática na potência.

Foi a quarta vez que Osaka disputou os quartos de final de um torneio do Grand Slam e a quarta em que foi sucedida, depois do US Open 2018, do Australian Open de 2019 e do US Open de 2021. O que têm em comum essas campanhas? Todas terminaram com a japonesa a levantar o troféu de campeã.

Detentora de um registo de extremos (em nenhuma das duas defesas do título que já protagonizou conseguiu passar dos oitavos de final), a ex-número um do mundo torna-se um autêntico perigo quando chega às fases decisivas e já tinha deixado claro estar em Melbourne para conquistar mais um troféu ao salvar dois match points na ronda anterior, frente a Garbiñe Muguruza.

As meias-finais serão um duelo de peso: ou contra Serena Williams (lidera o frente a frente por 2-1, mas perdeu o último encontro) ou contra Simona Halep (que venceu quatro dos cinco encontros anteriores, todos antes de Osaka se estrear a vencer torneios do Grand Slam).

Total
1
Shares
Total
1
Share