Pedro Sousa travado pelo poder de fogo de Wawrinka no Australian Open

A jogar pela segunda vez o quadro principal de singulares do Australian Open, Pedro Sousa foi derrotado na primeira ronda pelo ex-campeão Stan Wawrinka (18.º ATP), que puxou do poder de fogo que o caracteriza para vencer o número dois português (e 108.º mundial) por 6-3, 6-2 e 6-4.

Tal como na semana passada, em que somou a primeira vitória da carreira em torneios ATP disputados em piso rápido, o português de 32 anos deixou visíveis algumas melhorias neste tipo de superfícies, mas não conseguiu reunir argumentos para surpreender o suíço — que prestes a fazer 36 anos é, a par de Andy Murray, o tenista com mais títulos do Grand Slam (três) em plena era dominada por Roger Federer, Rafael Nadal e Novak Djokovic.

Naturalmente favorito para o encontro, Wawrinka revelou ter tomado uma boa decisão ao abdicar de uma jornada dupla no sábado para ter mais tempo de preparação para o Australian Open e entrou no torneio a todo o gás. O encontro desta segunda-feira prolongou-se por 96 minutos e ao longo desse tempo o helvético conseguiu apontar 35 winners, quase o dobro em relação a Pedro Sousa, que apesar de não ter resistido ao ténis potente do ex-número três mundial deu uma boa réplica ao longo de todo o duelo e chegou, inclusive, a destacar-se numa mão cheia de subidas à rede.

Esta foi a terceira vez que Pedro Sousa foi a jogo no quadro principal de um torneio do Grand Slam. Depois de 14 participações em qualifyings, o tenista do Centro de Alto Rendimento da Federação Portuguesa de Ténis estreou-se no Australian Open de 2019, frente a Alex de Minaur, e em 2020 perdeu para Mitchell Krueger no US Open.

Quanto a Stan Wawrinka, está a jogar o 61.º quadro principal da carreira em “Majors” e não só conta com os referidos três títulos — depois do Australian Open de 2014 venceu Roland-Garros 2015 e US Open 2016 — como é já o 12.º tenista masculino com mais vitórias em Grand Slams desde o início da Era Open: 151, cada vez mais perto das 163 de Boris Becker.

A representação portuguesa no “Happy Slam” fica apenas a cargo de Frederico Silva, que ainda esta segunda-feira (às 19h de Melbourne, 8h em Lisboa) vai defrontar Nick Kyrgios em plena sessão noturna.

Total
1
Shares
Total
1
Share