Frederico Silva à espera de novidades e “a passar bem dentro do possível”

Beatriz Ruivo/FPT

Depois de uma semana brilhante em Doha, onde garantiu pela primeira vez na carreira a qualificação para o quadro principal de um torneio do Grand Slam, Frederico Silva recebeu a má notícia de que teria de se isolar totalmente durante as duas semanas de quarentena em Melbourne, por ter viajado num avião onde foi identificado um caso positivo à covid-19.

Ao sexto dia de quarentena no quarto de hotel, o jogador natural das Caldas da Rainha contou à Lusa que “a organização do torneio continua a falar com as autoridades de saúde locais sobre a possibilidade de se fazer uma bolha, para os jogadores que estão em isolamento, dentro da “bolha” do torneio, mas ainda não obteve nenhuma resposta conclusiva.”

“Dentro dos possíveis a passar bem estes dias”, Frederico Silva não esconde a vontade de receber autorização para sair do quarto para poder treinar: “Obviamente que estou sempre à espera de novidades que nos permitam sair do quarto, mas, enquanto não sabemos o que vai acontecer, tenho conseguido mentalizar-me que é uma regra do governo australiano e não há muito que se possa fazer. Tenho muita vontade de sair e poder preparar-me para o torneio, mas sei que todos os esforços estão a ser feitos nesse sentido, sem que se ponha em causa a saúde pública.”

Até lá, o pupilo de Pedro Felner — treinador que está isolado noutro quarto — continua a trabalhar dentro dos metros quadrados a que tem direito, como contou há dias ao Raquetc. “Já trabalho com o Luís Lopes [preparador físico] por vídeo-chamada há alguns meses e tem estado a correr bem. Tem sido uma mais valia e neste momento, em que estou em isolamento, acaba por nos facilitar o trabalho porque já estamos habituados a treinar assim. Faço algumas sessões de treino físico para tentar ao máximo evitar perdas a esse nível.”

Total
8
Shares
Total
8
Share