Grand Slam em tempos de pandemia: Frederico Silva cada vez mais perto (por Pedro Felner)

Já vai tarde aqui por Doha. São 22 horas e acabei de chegar ao quarto de hotel, depois de mais um dia intenso.

O Frederico somou hoje a sua segunda vitória no qualifying do Open da Austrália. Com esta vitória conseguiu igualar a excelente prestação que já tinha alcançado na terra batida de Roland Garros, mostrando uma excelente regularidade ao mais alto nível e fazendo valer também uma das suas melhores características: o facto de conseguir ser muito competitivo em qualquer tipo de piso.

Se ontem, na primeira ronda, teve um jogo esforçado e uma excelente atitude competitiva, hoje conseguiu bem mais do que isso. No primeiro set as coisas não correram bem. O adversário, que conhecemos bem desde os tempos dos sub 14 e dos juniores, entrou com um ritmo muito forte e o Frederico teve alguma dificuldade em entrar no jogo. No entanto, no segundo set as coisas começaram a mudar. Conseguiu ser mais agressivo e começou a mexer-se e a servir melhor, acabando por ganhar por 6-1 com alguma naturalidade. No terceiro set manteve o nível de jogo e teve uma atitude mental incrível, “apertando” o adversário nos momentos certos e gerindo muito bem as suas emoções para fechar o encontro.

Agora há que descansar, recuperar energias e estudar o adversário de amanhã. Não teremos tarefa fácil contra o francês Gregoire Barrere (110.º ATP). Para além de ser o primeiro cabeça de série aqui em Doha, é um jogador muito talhado para jogar em pisos rápidos. No entanto, vamos lutar pelas nossas chances e acredito que amanhã poderemos garantir a tão desejada passagem para a Austrália.

Até breve!

Pedro Felner
Diretor Geral Felner Tennis Academy

Total
21
Shares
Total
21
Share