Separação da família afastou Federer do Australian Open

André Sá, diretor das relações com os jogadores do Australian Open, afirmou na madrugada desta quinta-feira que Roger Federer desistiu do primeiro torneio do Grand Slam da temporada por causa das restrições impostas pelo governo australiano.

De acordo com o ex-tenista brasileiro, que falou com o Ace BandSports, Federer não quis ficar longe da família durante cinco semanas: “Falei com ele há cerca de um mês e ele disse-me que tinha duas opções, viajar sem ou com a família. O problema é que a Mirka e os quatro filhos não são protegidos pela exceção que permite aos jogadores saírem do quarto [por algumas horas e apenas para treinarem], por isso teriam de ficar 14 dias fechados.”

Assim, sobrava a opção de viajar sozinho, e depois ele disse-me “tenho 39 anos, quatro filhos e 20 títulos do Grand Slam. Já não é altura de passar cinco semanas longe da minha família.”

2021 será o primeiro ano desde o longínquo 1998 (!) em que Roger Federer não irá a jogo no Australian Open. Assim, o regresso do suíço aos courts só acontecerá no mês de fevereiro, presumivelmente nos ATP 500 de Roterdão, na Holanda, e do Dubai, nos EAU.

Total
7
Shares
Total
7
Share