Australian Open será adiado três semanas e permitirá treinos durante a quarentena

Ainda não é certo, mas tudo indica que para lá caminha: o Australian Open deverá ser adiado três semanas, para o início de fevereiro, de forma a permitir aos jogadores a chegada ao país e o cumprimento da quarentena imposta pelo governo.

De acordo com o L’Équipe, que teve acesso às informações que os diretores do “Happy Slam” estarão a preparar para partilhar com os jogadores, os tenistas terão de chegar a Melbourne entre os dias 15 e 17 de janeiro e cumprir um período de quarentena até 31 de janeiro.

O arranque da fase de qualificação deverá ser marcado para a semana entre 1 e 7 de fevereiro, ao mesmo tempo que torneios ATP e WTA que, já se sabe, terão de acontecer também em Melbourne, na “bolha” que será criada pela Tennis Australia.

Assim sendo, os quadros principais do Australian Open serão jogados entre 8 e 21 de fevereiro, terminando três semanas depois da data inicialmente prevista — o que deverá significar uma alteração significativa da gíria sul-americana, sendo atualmente expeculado um cancelamento desses torneios no que diz respeito a 2021.

Segundo as informações recolhidas pelo L’Équipe, os jogadores terão de ficar alojados nos hotéis oficiais do torneio e estarão autorizados a sair dos hotéis durante cinco horas por dia, mas apenas para frequentarem os courts de treino e outras áreas relacionadas com a preparação para o período competitivo — todas elas inseridas na bolha sanitária que será criada. Os treinos terão de estar limitados a um colega de treino, pelo que os tenistas terão de criar uma “parceria” para os cerca de 15 dias de confinamento.

Total
2
Shares
Total
2
Share