Pedro Sousa regressa de forma muito autoritária ao Maia Open

Beatriz Ruivo/FPT

Pedro Sousa (113.º do ranking ATP) entrou com o pé direito na última semana competitiva da temporada ao carimbar o apuramento para a segunda ronda do Maia Open. Ao fazê-lo, assinou a primeira vitória portuguesa no quadro principal do torneio do ATP Challenger Tour que acontece na cidade maiata pelo segundo ano consecutivo.

Segundo cabeça de série, mas principal candidato ao título desde que, já com o encontro a decorrer, o espanhol Pedro Martínez (85.º ATP) foi afastado de forma contundente na primeira ronda, o jogador lisboeta de 32 anos não sentiu dificuldades em vencer o francês Maxime Hamou (365.º), a quem aplicou os parciais de 6-2 e 6-2.

À procura do primeiro título de uma temporada em que já jogou três finais (a primeira no ATP 250 de Buenos Aires, as restantes em torneios do ATP Challenger Tour), o jogador do Centro de Alto Rendimento da Federação Portuguesa de Ténis dificilmente poderia ter começado a campanha no Maia Open de forma mais autoritária, como aliás demonstram as estatísticas: converteu cinco dos oito pontos de break que criou e liderou sempre o marcador.

A vitória de Pedro Sousa foi a primeira de um jogador português no quadro principal do Maia Open 2020, que até pode ter um duelo 100% nacional na próxima ronda: para isso, é preciso que Gastão Elias (um dos três wild cards) derrote o russo Pavel Kotov, contra quem triunfou há cerca de dois anos, num torneio de piso rápido no Cazaquistão.

Total
3
Shares
Total
3
Share