Nuno Borges é o jogador com mais finais de singulares em torneios ITF em 2020

Beatriz Ruivo/FPT

A disputar a primeira temporada como tenista profissional a tempo inteiro, Nuno Borges dificilmente poderia estar a viver uma época mais feliz atendendo às condições que 2020 reservou e este domingo qualificou-se para mais uma final.

O apuramento para o encontro de atribuição do título na Quinta do Lago faz dele, aliás, o jogador com mais finais de singulares disputadas em torneios do ITF World Tennis Tour em 2020.

Campeão em Monastir e Sintra e finalista no Porto, em Setúbal, em Vale do Lobo e agora na Quinta do Lago (com o título deste último torneio ainda por decidir), o maiato de 23 anos superou os registos do italiano Alessandro Bega e da brasileira Beatriz Haddad Maia, que aproveitou a forte aposta de Portugal neste circuito para regressar em grande depois de uma suspensão de 10 meses.

Para além das seis finais, Nuno Borges soma ainda um impressionante registo de 29 vitórias em 34 encontros disputados no circuito internacional, às quais se juntam as 14 que somou na retoma do ténis pós-confinamento, nos quatro torneios que a Federação Portuguesa de Ténis organizou e dos quais saiu com três títulos — um deles no Campeonato Nacional Absoluto/Taça Guilherme Pinto Basto.

E se começou a temporada no 675.º lugar do ranking ATP, esta semana Nuno Borges é o 458.º (a quatro lugares da melhor classificação, alcançada em 2018, antes das várias mudanças levadas a cabo pela Federação Internacional de Ténis e que causaram uma enorme revolução nas classificações) e já tem garantido um novo máximo de carreira na próxima segunda-feira: no ranking “ao minuto” ocupa o 418.º lugar, que será melhorado na semana seguinte, quando forem contabilizados os pontos ganhos na Quinta do Lago (se conquistar o título entra no top 400, se for finalista ficará “à porta”).

Total
7
Shares
Total
7
Share