Francisco Cabral fica muito perto de igualar o melhor resultado da carreira em singulares

André Ferreira/FPT

Foi por pouco, muito pouco: depois de dois dias sem ténis devido à chuva, Francisco Cabral superou a primeira parte de uma jornada dupla e ficou a poucos passos de superar a segunda, que lhe permitiria chegar às meias-finais do ITF de 15 mil dólares da Quinta do Lago e igualar o melhor resultado da carreira na variante de singulares.

Este sábado, o portuense de 23 anos e número 1190 do ranking mundial (foi 862.º em março de 2018) começou o dia a derrotar o wild card italiano Edoardo Graziani (1863.º), por 4-6, 6-3 e 6-4, e esteve muito perto de surpreender o sexto cabeça de série Michael Geerts ( 393.º), mas acabou por perder com os parciais de 4-6, 6-4 e 6-3 ao cabo de 2h37.

O duelo, pautado pelo equilíbrio, decidiu-se ao sétimo jogo do parcial decisivo, quando o portuense não conseguiu segurar o jogo de serviço e cedeu o break que permitiu ao adversário belga ganhar a vantagem necessária para caminhar para a vitória.

Oriundo do qualifying, Francisco Cabral — vice-campeão nacional absoluto em 2015, 2016 e 2019 — ficou, assim, muito perto de igualar o melhor resultado da carreira na variante de singulares, alcançado em maio de 2017, quando em Santa Margarida de Montbui, na Catalunha, também passou o qualifying de um torneio de 15 mil dólares e só foi travado pelo futuro top 60 ATP Jaume Munar nas meias-finais.

Com este resultado, as esperanças portuguesas relativas ao quadro de singulares ITF da Quinta do Lago recaem em Nuno Borges, que horas antes venceu o compatriota João Monteiro para garantir a presença em mais umas meias-finais. Mas em pares o mesmo Francisco Cabral ainda pode, ao lado de Luís Faria, garantir uma vaga nas meias-finais. Para isso, a dupla portuguesa terá de derrotar os quartos cabeças de série, Viktor Galovic e Mark Vervoort.

Total
3
Shares
Total
3
Share