Pedro Sousa: “É sempre bom começar com uma vitória, ainda para mais num jogo tão tenso”

Beatriz Ruivo/Lisboa Belém Open

LISBOA — Pedro Sousa teve de lutar durante três sets, mas conseguiu sair por cima da batalha de amigos com Gastão Elias para regressar à segunda ronda de singulares do Lisboa Belém Open, torneio do ATP Challenger Tour que joga em casa e no qual se mostrou feliz por ter superado uma estreia mais difícil do que o habitual.

“Quando saiu o sorteio comentámos logo que de entre tantos jogadores tinha logo de sair o Gastão, que é um dos meus melhores amigos. Já passámos imensas horas juntos dentro do campo e ia ser sempre um jogo complicado e difícil de gerir, mais do que qualquer outro e ainda para mais jogando no nosso clube, um bocadinho mais meu do que dele, mas que também faz parte da carreira dele. Não foi fácil, tive de tentar abstrair-me disso, mas não foi fácil”, revelou o lisboeta, que esta semana surge na 111.ª posição do ranking ATP.

Pedro Sousa acrescentou que “dentro do campo há mais pressão nalguns momentos, como no final do primeiro set [liderou por 5-1 no tie-break], que se não fosse contra o Gastão não tinha custado tanto. Mas acabou por ser um bom jogo e eu acabei por ser um bocadinho mais agressivo e consegui a vitória.”

O número dois português encontrou semelhanças com os encontros realizados recentemente no Challenger de Split, onde chegou à final: “Tremi um bocadinho nos momentos de fechar os sets e hoje aconteceu-me o mesmo, ao 5-1 praticamente nem joguei os pontos e aconteceu tudo demasiado rápido. São coisas que acontecem, mas que tenho de tentar melhorar.”

À procura de pontos que lhe permitam “acabar o ano com ranking para entrar no Australian Open”, Pedro Sousa admitiu que a tarefa que tem pela frente não será fácil: “Está bastante difícil porque ninguém perde pontos, por isso para se subirem lugares tem de se ganhar bastantes jogos. Estou a 100 e tal pontos do top 100 e isso só é possível se for longe nos torneios, porque fazer uma segunda ronda ou quartos de final é praticamente igual.”

Em suma, o lisboeta de 32 anos mostrou-se aliviado por “começar com uma vitória em casa, ainda para mais num jogo tão tenso por tudo o que estava à volta”. Na segunda ronda vai enfrentar o francês Hugo Grenier (248.º), tenista que derrotou há duas semanas a caminho da final na Croácia.

Total
5
Shares
Total
5
Share