João Domingues desolado: “Da minha parte basicamente não houve encontro”

Beatriz Ruivo/Lisboa Belém Open

LISBOA — A defender o estatuto de oitavo cabeça de série, João Domingues (164.º ATP) acusou a falta de ritmo, confiança e soluções causadas pela inflamação no tendão do pulso esquerdo que o afeta desde o ATP 500 do Rio de Janeiro, em fevereiro, e caiu na eliminatória inaugural do quadro principal de singulares do Lisboa Belém Open.

“Da minha parte basicamente não houve encontro. Passei completamente ao lado, estive muito apático e não arranjei forma de reagir às adversidades. Como não estou rodado foi difícil sair desse engodo”, reconheceu o oliveirense de 27 anos, que realizou no CIF apenas o terceiro encontro desde a retoma dos circuitos internacionais e foi derrotado pelo francês Benjamin Bonzi (194.º).

Fico triste por não ter sido competitivo e não ter arranjado outra forma de jogar e frustrado por estar há algum tempo lesionado. Às vezes dói-me no impacto com a bola na esquerda, outras vezes não, e isso faz com que fique receoso e não faça bem o movimento ou comece a alterar algumas coisas”, acrescentou Domingues.

Apesar das dores e de ainda ter de fazer tratamentos diariamente, o número três nacional quer continuar no court: “Já parei muito tempo, estive seis meses sem bater esquerdas e só recomecei há três semanas, basicamente em Roland-Garros. É um caminho que tenho de percorrer, não sei quanto tempo é que vai durar, mas espero que seja pouco. Tenho de ser paciente.”

Total
4
Shares
Total
4
Share